IATA: Tráfego aéreo de passageiros aumentou 4,6% em Novembro

Com a procura de passageiros a subir 4,6% em Novembro, o tráfego aéreo global apresentou melhorias face a Outubro último, quando tinha desacelerado e apresentado um crescimento homólogo de apenas 2,9%. As companhias europeias registaram um crescimento mediano, ficando mesmo abaixo da média do mercado, com um aumento que se situou nos 4%, de acordo com os dados ontem publicados pela IATA. Novembro trouxe algumas boas notícias para o transporte aéreo, com a procura por parte dos passageiros a aumentar 4,6% a nível global, e 5,6% em termos internacionais. A capacidade aérea mundial também aumentou, neste caso 3,2%, abaixo portanto do aumento sentido na procura o que levou o load factor global a melhorar em 1% para os 77,3%. “Novembro trouxe alguns sinais positivos no que se refere à procura” afirmou o CEO da IATA, Tony Tyler, destacando que a evolução do transporte de passageiros é mais favorável que a da carga em situações económicas adversas como as que se estão a atravessar em alguns países. A procura internacional avançou 5,6% face a Novembro do ano passado, mas apenas 0,2% comparando com Outubro deste ano, com a IATA a destacar o papel desempenhado pelos destinos emergentes. Dado que a oferta internacional registou um aumento homólogo de 3,1%, o load factor melhorou 1,8 pontos para 76,3%. Por regiões, a Europa, que registou uma progressão homóloga de 4%, ficou praticamente na média, mas mesmo assim abaixo das médias de crescimento do global do mercado e das internacionais. A capacidade aumentou 0,8%, bastante abaixo do aumento da procura, provocando uma subida de 2,3 pontos no load factor, que atingiu os 77,8%. Abaixo da Europa ficaram as companhias da América do Norte, onde o aumento da procura se cifrou em 2,6% face a Novembro de 2011, enquanto a capacidade aumentou 0,4% impulsionando a taxa de ocupação em 1,6% para 79,6%, a mais alta entre as várias regiões do globo. Os melhores resultados de Novembro foram observados nas companhias da América Latina, onde a procura cresceu 11% em termos homólogos. O aumento da capacidade situou-se nos 9,8%, com o load factor a aumentar 0,8% para 76,3%. No Médio Oriente, a demanda aumentou 10,5% em termos homólogos, mas a capacidade cresceu 11,2% o que provocou uma quebra de 0,5 pontos na ocupação, que se quedou nos 73,5%. Na Ásia-Pacífico a procura cresceu 6,2%, a capacidade 2,5% e a ocupação melhorou 2,6 pontos para 75,7%. Já em África, a um aumento da procura de 5% correspondeu uma subida de 4,4% na oferta, o que levou a que a ocupação média melhorasse em 0,4 pontos para 64,7%, o load facto mais baixo registado a nível mundial. A IATA refere ainda que ao nível dos mercados domésticos a procura global aumentou 3,0% face a Novembro de 2011, enquanto a oferta cresceu 3,3%, provocando uma redução de 0,2 pontos na ocupação média, que se situou nos 79,1%.O mercado interno em que a procura mais aumentou foi o brasileiro, 10,2%. M.F.