ICAO alerta para os impactos do aquecimento global

A ICAO – Organização da Aviação Civil Internacional apresentou, na passada quarta-feira, o seu relatório ambiental de 2016, que pede aos aeroportos mundiais para que se comecem a preparar para os severos impactos do aquecimento global.

A organização, com sede em Motreal, Canadá, alertou para o aumento da cobertura de nuvens em aeroportos no Médio Oriente e na América Latina, que resultam do aumento da temperatura e da humidade. Ressaltou a importância de proteger as pistas costeiras de todo o mundo do aumento do nível das marés. Falou sobre o aumento da turbulência causada por mudanças nas correntes atmosféricas, sobre as tempestades de areia e poeira que vão entupindo os motores e sobre as ocorrências de gelo nas asas dos aviões.

Segundo a ICAO tanto a robustez dos aviões quanto a de todo o sistema de aviação deve ser cuidadosamente monitorizado, enquanto o sector se deverá preparar para as condições meteorológicas mais extremas que se esperem no futuro. Os principais efeitos da mudança climatérica serão mais evidentes daqui a 30 ou 40 anos, sendo que uma resposta racional em todos os aeroportos seria, na opinião da ICAO, a realização de avaliações de risco das infra-estruturas existentes, de modo a reduzir riscos futuros e minimizar os custos de ciclo de vida.

Como exemplo de infra-estruturas em risco o relatório apontou que dos 46 aeroportos da Noruega 20 encontram-se demasiado expostos, sendo que vários apresentam pistas a menos de quatro metros acima do nível do mar. Uma avaliação, realizada em 2014, mostra que muitos destes correm risco de inundação.