Igreja Católica defende sustentabilidade do turismo

Em declarações à Agência Ecclesia, o director da Obra Nacional da Pastoral do Turismo (ONPT), padre Carlos Godinho, afirmou que o tempo de férias é uma oportunidade para a afirmação da sustentabilidade do turismo.

As férias são “uma oportunidade para afirmar a sustentabilidade no turismo”, declarou o padre Carlos Godinho à Agência Ecclesia, uma vez que, advertiu, “o facto de se fazer férias poderia, com a massificação e a presença massificada nalguns espaços, pôr em causa esta sustentabilidade”, algo que na sua perspectiva acontece em alguns casos, com situações como as da acumulação de lixos e exagerados consumos de água.

Sobre o turismo em Portugal, o padre Carlos Godinho aconselhou a que aos produtos como o mar e a gastronomia, se aliem programas de animação e culturais, entre outros, e até o próprio turismo religioso através, nomeadamente, da acção de paróquias localizadas na faixa litoral.

No ano em que o turismo sustentável é mote para a OMT e a ONU, a Igreja Católica também quer fomentar essa sustentabilidade, tendo por base “três aspectos fundamentais”: a dimensão económica e social, cultural e ambiental do turismo; a extensão dos benefícios do turismo a áreas que com ele implicam indirectamente, como a “agricultura, o comércio, o artesanato”, dinamizador de muitas outras”; e a responsabilidade social, com as infra-estruturas turísticas a “servir a comunidade”.