Imprensa internacional atenta a situação na Madeira

A imprensa internacional está a acompanhar com atenção a situação na Madeira, sendo muitos os jornais e sites estrangeiros que publicam notícias e fotos sobre o incêndio que tem fustigado a ilha. Particularmente atentos estão os meios de comunicação do Reino Unido, um dos principais mercados geradores de turistas para a ilha.

À semelhança de outros sites britânicos, o The Guardian chama para título as três vítimas mortais causadas pelo “violento incêndio que varre a Madeira” e faz uma resenha dos acontecimentos, destacando os 1.000 residentes e turistas que tiveram que ser realojados.

Com um título semelhante, o The Telegraph lembra que a Madeira “é um grande destino turístico” e destaca a “destruição pelo fogo de um hotel de 5 estrelas”.

Além de colocar em destaque o número de vítimas, o Mirror fala de uma “evacuação maciça” de pessoas devido ao “incêndio desastroso” e faz-se eco dos posts colocados nas redes sociais por turistas britânicos que se encontram de férias na ilha. A devastação do hotel Choupana Hills, o cancelamento, desvio e atraso de voos são outros temas abordados.

No The Sun o que está em destaque é uma vasta reportagem fotográfica, com o jornal a não esquecer que “a ilha da Madeira atrai milhares de turistas britânicos todos os anos” pela “beleza dos seus campos” e pelo “clima ameno”.

“Ilha da Madeira a arder” é o título do ETN Global Travel Industry News que destaca o facto de a Madeira ser um dos mais famosos e procurados destinos turísticos em Portugal.

Em Espanha são também muitas as referências ao violento incêndio na Madeira. “As chamas ameaçaram o centro histórico da capital da Madeira”, titula o El Pais que faz referência aos milhares de pessoas evacuadas de casas e hotéis, à destruição de um hotel de cinco estrelas e ao cancelamento e atraso de voos, destacando também que “a capital da Madeira, que já foi afectada por uma inundação em 2010, acolhe nesta época milhares de turistas”.

Já o El Español, que faz uma resenha dos acontecimentos e apresenta uma vasta reportagem fotográfica, fala ainda de um cenário dantesco, d cenas de pânico e frisa que o incêndio que afecta a Madeira “preocupa, não só por ameaçar a integridade do Funchal, mas também porque põe em causa a importante indústria turística da ilha”, já que “mais de 75% dos madeirenses se dedicam a este sector, que atende principalmente visitantes do Norte da Europa que aproveitam as praias e o clima tropical da ilha”.

Também o site de turismo espanhol Hosteltur.com não ficou indiferente à situação. “Incêndio na Madeira: evacuados turistas de seis hotéis” é o título de capa de uma notícia que destaca a destruição de um hotel de cinco estrelas e o avanço das chamas sobre o centro do Funchal.

Do outro lado do Atlântico, a imprensa brasileira também segue a situação com O Globo a titular “Incêndio na Madeira mata três e força retirada de mais de mil pessoas”. O mesmo site destaca o avanço das chamas sobre o centro do Funchal e a evacuação de alguns hotéis.

“A turística ilha da Madeira pasto de fortes incêndios “, “Terrível incêndio consome a ilha portuguesa da Madeira”, são outros títulos da imprensa internacional que em muitos casos faz também referência aos inúmeros incêndios que lavram em Portugal Continental.

Um mês de Agosto “invulgarmente quente”, a “falta de chuvas recentes”, “ventos muitos fortes” e “dificuldades de acesso” a alguns locais dada a “geografia da ilha” são as razões focadas pela imprensa internacional para a rápida propagação do fogo que muitos apontam ter sido causado por “mão criminosa”.