INE: Aeroportos nacionais registam 10,6 milhões de passageiros no 4º trimestre de 2016

Só no quarto trimestre de 2016, os aeroportos nacionais movimentaram um total de 10,6 milhões de passageiros, o que corresponde a um aumento de 20,3% face ao período homólogo do ano anterior.

Dados do INE indicam que no mesmo período aterraram em todos os aeroportos portugueses 44,3 mil aeronaves em voos comerciais (+14,2%)

Em 2016 (resultados preliminares), registaram-se 188 mil aterragens de aeronaves em voos comerciais em Portugal, reflectindo um crescimento de 12%.

Diz o INE que em todos os principais aeroportos verificaram-se relevantes no número de passageiros, designadamente em Lisboa, que movimentou 5,6 milhões (+20%) Porto (2,3 milhões), com uma subida de 22,1%, e Faro (1,4 milhões de passageiros, correspondendo a um aumento de +22,9%. Nas regiões autónomas, a Madeira cresceu 16,5% e Ponta Delgada 13,7%, tendo movimentado 618 mil e 327 mil passageiros, respectivamente. Já as Lages também evidenciou um crescimento de 20,2%, enquanto no Porto Santo a subida foi de 42,3%.

Relativamente ao ano de 2016, que aparecem ainda como resultados preliminares, o movimento de passageiros totalizou 45,4 milhões (embarques, desembarques e trânsitos directos), resultando num crescimento de 14,3%, acima dos anos anteriores (+11,0% em 2015 e +9,4% em 2014).

Cerca de 97,6% dos passageiros utilizaram voos de tráfego regular. Os movimentos de passageiros em voos internacionais corresponderam a 80,8% do tráfego regular.

As transportadoras aéreas nacionais concentraram 39,0% dos passageiros movimentados no 4º trimestre de 2016, reforçando assim a sua quota face ao 4º trimestre de 2015 (+0,6 p.p.).

No período analisado pelo INE, em 2016, os operadores nacionais transportaram 35,9% dos passageiros (-2,4 p.p.).

A taxa de ocupação (passageiros/lugares) no 4º trimestre do ano passado situou-se em 77,9% para o total de movimentos, sendo que a oferta no total do ano totalizou 57,8 milhões de lugares, com 78,5% de ocupação. Nos movimentos internacionais foram oferecidos 36,5 milhões de lugares, para uma taxa de ocupação que se situou em quase 81%.