INE: Dormidas na hotelaria crescem mais de 20% em Março

Em Março de 2016 a hotelaria portuguesa contabilizou 3,7 milhões de dormidas protagonizadas por 1,4 milhões de hóspedes, correspondendo a subidas de 20,3% e 18,8%, respectivamente, quando comparados com o período homólogo do ano anterior. No acumulado do 1º trimestre de 2016, os hóspedes aumentaram 14,9% e as dormidas 16%.

Segundo dados publicados esta segunda-feira pelo INE, estes resultados superaram os do mês anterior em mais 15,5% e 14,9%, respectivamente, e refere que “está em parte associada a um efeito de calendário, já que a Páscoa este ano se celebrou em Março e em 2015 em Abril”.

Para o aumento das dormidas concorreram tanto o mercado interno (+18,5%), como os externos (+21%). O mercado interno gerou 1,1 milhões de dormidas, situação que tem acelerado face aos últimos meses (+11,6% em Fevereiro e +9,1% em Janeiro). O mercado externo, por sua vez gerou 2,6 milhões de dormidas, representando 70,7% do total das pernitas. O crescimento no mês anterior foi de 17,3%. No entanto, esta subida em Março foi apenas superada pelo de Abril de 2014 (+22,7%), mês com o mesmo efeito da Páscoa.

De Janeiro a Março, as dormidas de residentes aumentaram 13,6% e as de não residentes 17,1%.

No período em análise, as dormidas em hotéis aumentaram 21,9% e corresponderam a 69% do total. Todas as categorias de hotéis apresentaram evoluções significativas, principalmente as unidades de quatro estrelas (+24,2%), que representaram quase metade das dormidas desta tipologia (48,7%). Tal como no mês anterior, destacaram-se também os apartamentos turísticos (+37,0%), ainda que com quota bastante inferior (7,6% das dormidas).

Todas as regiões evidenciaram aumentos significativos das dormidas, com destaque para os Açores (+55,6%), como vem sucedendo nos últimos meses. No Continente, o INE assinala os acréscimos do Algarve (+28,2%), do Norte (+25,3%) e do Alentejo (+21,8%).

As principais regiões de destino foram o Algarve (28,4% das dormidas totais) e Lisboa (27,5%).

As dormidas de residentes aumentaram expressivamente nas Regiões Autónomas (+51,6% nos Açores e +43,1% na Madeira). No Continente os aumentos foram também significativos, destacando-se o Alentejo (+27,3%), o Algarve (+18,4%) e o Norte (+18,2%). A Área Metropolitana de Lisboa foi a primeira escolha dos residentes (22,9% das dormidas), mas com procura inferior à do mês homólogo de 2015 (24,3%), seguidas pelo Norte (22,5%) e Centro (19,6%).

Considerando as dormidas de não residentes, os Açores mantiveram o maior aumento (+60,9%), seguida pelo Norte (+32,9%), Algarve (+30,7%) e Centro (+27,9%). Algarve, Lisboa e Madeira foram as regiões com maior procura por parte de hóspedes vindos do estrangeiro (respectivamente 32,8%, 29,4% e 20,1% das dormidas).