INE: Evolução dos proveitos da hotelaria superior aos hóspedes e dormidas

Durante o mês de Agosto, os proveitos totais da hotelaria nacional tiveram um crescimento de 11,9% e os de aposento subiram 13,4%, tendo-se fixado em 442,8 milhões de euros e 343,5 milhões de euros, respectivamente.

No entanto, dados divulgados esta sexta-feira pelo INE indicam que as subidas foram inferiores às verificadas em Julho, que se situaram em +18,3% e +19,%, respectivamente. Também no acumulado de Janeiro a Agosto os resultados foram de +15,9% e +17%, ou seja, superiores aos verificados em Agosto, mantendo-se, no entanto, a tendência de evolução dos proveitos em termos superiores aos hóspedes e dormidas.

O INE diz que os proveitos aumentaram significativamente em todas as regiões, mas com desaceleração generalizada, tal como ocorrido com as dormidas. Neste caso destaca os Açores que apresentaram acréscimos assinaláveis (+19,5% nos proveitos totais e +17,7% nos proveitos de aposento), e o Norte (+17,4% e +18,5%). O contrário verificou-se no Algarve, região com maior desaceleração nos proveitos totais face ao mês anterior (-8,0 p.p.), não obstante o nível de aumento significativo em termos homólogos (+10,7%). Igualmente, o Alentejo conheceu abrandamento notório face ao mês precedente (-10,2 p.p.) atingindo ainda assim um aumento de 11% em Agosto, face a igual mês de 2015.

Dados do INE revelam ainda que o rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) foi 77,9 euros (+9,9%) e nos oito primeiros meses do ano situou-se em 44,2 euros (+12,6%).

As regiões com maior RevPAR foram o Algarve (112,5 €), Lisboa (79,7 €) e Madeira (65,3 €), mas a evolução foi globalmente positiva, destacando-se o Norte (+15,8%), Açores (+10,8%), Madeira (+10,7%) e Algarve (+10,3%).

Ainda em relação ao RevPar, foram os hotéis-apartamentos de cinco estrelas que tiveram o valor mais alto em Agosto, situando-se em 145,9 €, seguindo-se os hotéis de cinco (143,9 €) e as pousadas (107,4 €).

 

(Visited 9 times, 1 visits today)