INE: Hotelaria regista 1,6 milhões de hóspedes e 4,1 milhões de dormidas em Abril

Dados do INE referentes a Abril deste ano indicam que a hotelaria portuguesa registou 1,6 milhões de hóspedes e 4,1 milhões de dormidas, com aumentos homólogos de 7,7% e 6,2%. No entanto, estes resultados ficaram bastante aquém dos de Março (+19,4% e +21,1%), mês em que ocorreu a Páscoa.

Tanto o mercado interno como os externos obtiveram subidas mais moderadas (+6,8% e +5,9%) enquanto os de Março foram +18,1% e +22,4%. A estada média reduziu-se também (-1,4%; 2,63 noites) e a taxa líquida de ocupação-cama aumentou ligeiramente (+1,7 p.p.; 44,9%).

De acordo com o INE, os hotéis, que totalizaram 68% das dormidas, registaram um crescimento de 6%, para o qual contribuíram os aumentos em todas as categorias. Os apartamentos turísticos (8,3% das dormidas) e os hotéis-apartamentos (14,0%) apresentaram aumentos assinaláveis (+15,0% e +7,2%), nestes últimos apenas com o contributo das unidades até quatro estrelas.

Os residentes contribuíram com 1,1 milhões de dormidas, uma subida de 6,8%, mas menos que nos últimos meses (+18,1% em Março e +11,6% em Fevereiro), tendo representado 26,3% das dormidas totais (26,1% em Abril de 2015), enquanto os mercados externos proporcionaram três milhões de dormidas (+5,9%), resultado bastante inferior ao de Março (+22,4%) e dos meses anteriores. Nos primeiros quatro meses de 2016 as dormidas de residentes aumentaram 11,4% e as de não residentes 13,4%.

Os treze principais mercados emissores2 representaram 84,8% das dormidas de não residentes, quota ligeiramente inferior à do período homólogo (85%).

No que diz respeito às regiões, à semelhança dos meses anteriores, os Açores e o Norte mantiveram em Abril crescimento expressivo em relação às dormidas totais com +17,6% e +11,3%, enquanto o Algarve e a Madeira apresentaram variações de +8,8% e +8,1%, respectivamente.

Na Área Metropolitana de Lisboa houve um ligeiro decréscimo das dormidas (-0,8%), em contraste com os últimos meses (+15,2% em Março e +10,5% em Fevereiro) em parte como consequência de constituir o principal destino do turismo espanhol. Esta região foi o segundo maior destino (25,9% das dormidas totais), apenas superado pelo Algarve (31,9%).

O INE indica, por outro lado, que as dormidas de residentes aumentaram expressivamente nas Regiões Autónomas (+20,3% na Madeira e +13,2% nos Açores) e dos mercados externos cresceram nos Açores mais nos Açores (+21,9%).