INE: Janeiro apresenta ligeiro abrandamento dos proveitos na hotelaria

Os proveitos totais da hotelaria portuguesa atingiram em Janeiro 103,7 milhões de euros (+13,0%) e os de aposento 71,4 milhões de euros (+15,1%). No entanto, estes resultados são ligeiramente menos expressivos que os do mês anterior (+14,6% e +16,1%).

Para esta ligeira desaceleração apenas contribuiu a região de Lisboa (de +16,7% em Dezembro para +5,0% em Janeiro relativamente a proveitos totais). Nas restantes regiões os resultados superaram os de Dezembro, sendo de salientar os aumentos nos proveitos totais e de aposento nos Açores (+59,3% e +64,9%) e no Norte (+22,4% e +25,9%).

O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) aumentou 11,8%, equivalendo a 19,1 euros, enquanto em Dezembro tinha subido 14,5%. Neste indicador, a Madeira e Lisboa apresentaram maior rentabilidade média por quarto disponível (31,9 € e 30,9 €, respectivamente), mas os aumentos mais significativos no RevPAR tiveram lugar nos Açores com +62,6%, no Norte (+17,8%) e na Madeira (+17,7%).

Os estabelecimentos com valores mais elevados do RevPAR foram os hotéis de cinco estrelas (38,6 €), os hotéis-apartamentos também de cinco estrelas (22,5 €) e os hotéis de quatro (21,7 €).

Os apartamentos turísticos e os hotéis-apartamentos de cinco estrelas apresentaram crescimentos expressivos em termos de RevPAR (+39,6% e +36,1%). As pousadas registaram um decréscimo (-4,0%), ao invés das demais tipologias.