INE: Mercados holandês, britânico e francês em crescimento

À semelhança do que tem vindo a acontecer nos últimos meses, também em Janeiro foram os mercados externos a sustentar a hotelaria nacional. Entre estes os destaques vão para a Holanda, Reino Unido e França, com os mercados espanhol, italiano e francês a registarem quebras. De acordo com os dados ontem divulgados pelo INE, os mercados holandês, britânico e francês apresentaram, no primeiro mês deste ano, acréscimos homólogos expressivos (+17,8%, +15,4% e +13,9%, respectivamente), mas em conjunto, os oito principais mercados emissores de turistas para Portugal foram responsáveis por 73,5% das dormidas de não residentes. O Reino Unido, que representa 24,1% do total de dormidas de não residentes registou em Janeiro um crescimento homólogo de 15,4%, enquanto os Países Baixos, que pesam 9,7% para o total de dormidas de estrangeiros, registaram o maior aumento homólogo, +17,8%), mas também o mercado francês, com um peso de 5,5% teve um comportamento favorável, aumentando o número de dormidas em 13,9 no mês de Janeiro. Seguiu-se o mercado brasileiro, que já representa 7,2% das dormidas de estrangeiros em Portugal, e que registou um aumento homólogo de 5,1% em Janeiro. O mercado alemão, com uma representatividade de 15,1%, apresentou sensivelmente o mesmo número de dormidas que em igual mês de 2012. Tendência bem distinta revelou o mercado espanhol que, com um peso de 7,8%, foi responsável por -12,6% de dormidas neste primeiro mês de 2013. Também a Itália (3,1%) e a Irlanda (1,0%) registaram variações homólogas negativas (-11,1% e -7,1%, respectivamente). O INE sublinha ainda o comportamento de outros mercados, como o Russo (+18,8%, atingindo um peso de 2,8% neste mês), o Dinamarquês (+24,9%, representando 2,3%) e o Finlandês (+27,4%, pesando 1,9%). Ainda em Janeiro de 2013, os Estados Unidos da América representaram 2,1% das dormidas de não residentes, cabendo 1,8% à Suécia. M.F.