INE: Passageiros nos aeroportos nacionais aumentam 10% no 2º trimestre

O número de passageiros nos aeroportos portugueses totalizou 10,8 milhões no segundo trimestre, correspondendo a um crescimento de 10,1% face ao mesmo período de 2014, de acordo com dados do INE. No primeiro trimestre o acréscimo foi de 14,3%.

À semelhança do trimestre anterior, foi no aeroporto de Ponta Delgada que se verificou o maior aumento do movimento de passageiros: +33,9%, tendo em conta que houve crescimento da oferta, com novas companhias aéreas a operar neste aeroporto.

Igualmente em linha com o trimestre anterior, os aeroportos do Porto e de Lisboa observaram aumentos importantes no movimento de passageiros: +16,5% e +10,6%, respectivamente. Os aeroportos de Faro e Funchal registaram crescimentos mais modestos, ou seja +2,8% e +1,7%, respectivamente.

No trimestre em análise, de acordo com o INE, aterraram 44,5 mil aeronaves nos aeroportos nacionais (+4,9%), enquanto nos aeroportos do continente cresceu 5%, nos Açores mais 7,7%, tendo diminuído em 0,1% na Madeira.

O INE avança ainda que o tráfego comercial regular representou 96,4% do total dos movimentos de passageiros. No total do tráfego comercial regular, o internacional concentrou 82,9% dos passageiros movimentados, sendo que 82,2% tiveram a União Europeia como origem ou destino.

As companhias aéreas nacionais foram responsáveis por 36% dos passageiros movimentados nos aeroportos nacionais, o que correspondeu a um decréscimo de 4,8 p.p. A paralisação dos pilotos da TAP, em Maio último terá sido responsável por este resultado.

Os dados do INE especificam que os operadores da Irlanda (21,9%) e do Reino Unido (16,8%), no seu conjunto, superaram os operadores nacionais. Assinala-se o aumento de 4,3 p.p.

No 2º trimestre deste ano a oferta de lugares totalizou cerca de 13 milhões dos quais 10,6 milhões em movimentos internacionais. Esta oferta atingiu o seu valor máximo em Junho com 4,6 milhões de lugares, dos quais 3,8 milhões em movimentos de tráfego internacional. O load factor em tráfego internacional saldou-se acima de 80% no trimestre em análise.