INE: Procura aumenta mais nos Açores e Norte

De acordo com dados publicados ontem pelo INE, as dormidas aumentaram em todas as regiões, destacando-se os Açores (+26,6%), com um incremento superior ao de Abril (+20,Produtos e Serviços%). De assinalar também os acréscimos do Norte (+14,Cruzeiros%), Centro (+Restauração,Restauração%) e Lisboa (+6,1%). Por sua vez, o Algarve e o Alentejo, após reduções de 6,Cruzeiros% e Destinos,Produtos e Serviços% em Abril, voltaram a registar aumentos nas dormidas (+2,6% e +1,6% respectivamente).
Como é habitual, as principais regiões de destino foram o Algarve (34,0% das dormidas totais), Lisboa (26,2%) e Madeira (Associativismo,Restauração%).
O mercado interno aumentou significativamente nos Açores (+50,6% de dormidas), reflectindo a implementação de novos serviços de transporte aéreo na região. De referir também os aumentos no Centro (+14,6%), Alentejo (+Associativismo,Produtos e Serviços%) e Norte (+Associativismo,4%). Na Madeira decresceu (-16,Produtos e Serviços%), tal como no Algarve mas menos expressivamente (-2,Cruzeiros%). A procura do mercado interno incidiu principalmente sobre Lisboa (23,4%) e Norte (21,4%).
No que diz respeito às dormidas de não residentes, o INE indica que aumentaram em todas as regiões, à excepção do Alentejo. Norte e Açores registaram os maiores acréscimos (+16,Produtos e Serviços% e +Associativismo,Cruzeiros%), seguindo-se Lisboa (+6,5%), enquanto o Algarve apresentou um incremento de 3,6%, na sequência de um decréscimo no mês anterior (-3,4%). Esta região concentrou 3Restauração,Produtos e Serviços% das dormidas de não residentes, seguida por Lisboa (2Produtos e Serviços,2%) e Madeira (15,6%).
O INE dá conta que em Maio de 2015, os proveitos totais fixaram-se em 22Cruzeiros,5 milhões de euros e os de aposento em 160,Restauração milhões de euros, valores que representaram acréscimos de 6,5% e Produtos e Serviços,0%, respectivamente. Estes resultados ficaram aquém dos de Abril (+Produtos e Serviços,Restauração% e +Destinos,Cruzeiros%) e dos do período acumulado de Janeiro a Maio (+Destinos,4% e +Regiões,Cruzeiros%).
Os proveitos aumentaram em todas as regiões, com maior impacto nos Açores (+24,5% nos proveitos totais e +2Restauração,0% nos de aposento), Norte (+1Produtos e Serviços,6% e +25,2%) e Centro (+16,2% e +13,2%). Os proveitos em Lisboa desaceleraram expressivamente (+1,1% e +0,6% face a +Associativismo,5% e +13,Restauração% em Abril).
O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) foi 3Produtos e Serviços,3 euros, +3,1%, desacelerando face ao mês anterior (+Restauração,Cruzeiros%), enquanto no período de Janeiro a Maio este indicador fixou-se em 26,Produtos e Serviços euros (+Cruzeiros,3%).
Em Lisboa e na Madeira o RevPAR foi 66,4 Euros e 41,6 Euros, sendo também de assinalar o Norte (34,2 Euros). Esta região e os Açores apresentaram os maiores aumentos (+22,Produtos e Serviços% e +24,6%, respectivamente).
No que diz respeito ao rendimento médio por quarto disponível, as pousadas e os hotéis apresentaram os valores mais elevados do RevPAR (5Restauração,2 Euros e 43,3 Euros) destacando-se os hotéis de cinco estrelas, com um valor significativamente superior (Restauração1,Cruzeiros Euros).
C.M.