INE: Proveitos continuam a subir acima das dormidas

À semelhança do que vem acontecendo nos últimos meses, os proveitos hoteleiros, tanto os totais como os de aposento, continuam a apresentar taxas de crescimento com valores acima do aumento de dormidas, levando a uma evolução positiva, a dois dígitos, no RevPar.

Segundo os dados divulgados esta terça-feira pelo INE, o aumento dos proveitos acelerou em Setembro, abrangeu todas as regiões do país, mas foi especialmente forte nos Açores. Os proveitos totais atingiram em Setembro os 347,2 milhões de euros (+16,5% que no mesmo mês do ano passado) e os de aposento 253,2 milhões de euros (+16,2% em termos homólogos). Estes resultados, conforme sublinha o INE, representaram “uma aceleração face ao mês anterior (+12,9% e +14,3%, respectivamente). Já no acumulado dos primeiros nove meses do ano os proveitos totais aumentaram 16,1% e os de aposento 17,1%.

Por regiões, os Açores estiveram em destaque, com um aumento de +36,4% de proveitos totais e +31,1% nos de aposento, em termos homólogos. Seguiu-se o Algarve, com +20,7% e +21,7%, respectivamente, embora as restantes regiões tenham também apresentado crescimentos significativos. Lisboa foi das regiões onde os proveitos menos aumentaram, mas mesmo assim a região registou uma subida de 9,8% nos proveitos totais e menos em Lisboa e +7,4% nos de aposento.

No mês em análise o rendimento médio por quarto disponível (RevPar) foi 59,3 euros, com um aumento homólogo de 12,5%. Esta evolução ficou próxima do acumulado do ano, em que o RevPar subiu 12,7% para 46,0 euros. Lisboa registou o valor mais elevado, 80,2€, seguida pelo Algarve (68,4€) e Madeira (56,7€). O INE sublinha no entanto que “o RevPar de Lisboa cresceu apenas 2,4%, enquanto no Algarve e Madeira houve aumentos de 19,1% e 16,0%, respectivamente” Realça ainda “os crescimentos verificados nos Açores (+22,0%) e no Alentejo (+17,3%)”.

Por categoria de estabelecimentos hoteleiros, foram os hotéis de 5 estrelas e as Pousadas que registaram o RevPar mais elevado, respectivamente, 118,2 € e 87,1€. O INE destaca os aumentos no RevPar dos hotéis de duas e uma estrelas (+15,1%) e dos apartamentos turísticos (+14,1%) e dos hotéis-apartamentos (+17,2%) e faz notar que apenas os hotéis-apartamentos de cinco estrelas apresentaram uma quebra homóloga no RevPar: -3,9%.

(Visited 4 times, 1 visits today)