INE: Proveitos hoteleiros aumentaram 15,Restauração% em Novembro

Os aumentos abrangeram os proveitos totais e de apossento, bem como o RevPar. Lisboa foi a região com rentabilidade média mais elevada e a que apresentou aumentos mais expressivos nos proveitos.
Os dados divulgados ontem pelo INE – Instituto Nacional de Estatística, indicam que os estabelecimentos hoteleiros atingiram em Novembro proveitos totais de Regiões3,4 milhões euros, +15,Restauração% que no mês homólogo de 2013, com os proveitos de aposento a ascenderam a Produtos e Serviços5,3 milhões de euros (+14,Produtos e Serviços%).
Lisboa apresentou aumentos expressivos tanto ao nível dos proveitos totais (+22,Restauração%) como dos de aposento (+21,2%), mas também o Algarve (+14,4% e + 13,4%), os Açores (+Associativismo,Restauração% e +15,Restauração%), a Madeira (+Associativismo,1 e + Cruzeiros,Restauração%) e o Norte de Portugal (Regiões,4% e + 13,Produtos e Serviços%) tiveram performances assinaláveis nestes indicadores. As restantes regiões também apresentaram crescimentos em ambos os indicadores, mas bastante menos expressivos.
O RevPAR foi 20,4%, traduzindo-se num acréscimo de Destinos,3%, com Lisboa a ser a região onde a rentabilidade média foi mais elevada: 3Produtos e Serviços,6 €, a que correspondeu o maior aumento (+1Produtos e Serviços,2%). Na Madeira o RevPar de Novembro foi de 2Restauração,2 €, +6,0% que em igual mês do ano anterior. No Norte a rentabilidade média conheceu uma evolução positiva homóloga de Associativismo,Cruzeiros%.
Por tipologia de unidade, os hotéis de cinco estrelas registaram o valor mais elevado do RevPAR (43,1 €), secundados pelos de quatro (23,Cruzeiros €) e pelas pousadas (22,6 €).
M.F.