INE: Proveitos hoteleiros em desaceleração

Os proveitos hoteleiros, totais e de aposento, continuaram a subir em Março, mas tiveram uma clara desaceleração face ao mês anterior, sendo também influenciados pelo facto de a Páscoa, este ano, ter acontecido em Abril, quando o ano passado ocorreu em Março.

De acordo com os indicadores divulgados esta terça-feira pelo INE, em Março os proveitos totais atingiram 188,9 milhões de euros e os de aposento 130,1 milhões, com aumentos respectivos de 9,9% e 8,6%, quando em Fevereiro as variações homologas positivas tinham ascendido a 14,5% e 16,0%, respectivamente.

A maioria das regiões apresentou aumentos nos proveitos, os Açores (+21,3% nos proveitos totais e +19,7% nos de aposento) e a região de Lisboa (+17,4% e +16,7%) a registarem as evoluções mais destacadas. No pólo oposto surgiu o Alentejo com -3,6% nos proveitos totais e -9,4% nos de aposento. De referir que também o Algarve registou uma variação homóloga negativa de 2,0% nos proveitos de aposento.

O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) foi 31,8€, que se traduziu num aumento 6,4% (em Fevereiro o aumento tinha sido de 17,4%). Na região de Lisboa e na Madeira o RevPAR ascendeu a 54,1€ (+12,7%) e 49,1€ (+11,5%), respectivamente.

Os hotéis de cinco estrelas registaram 61,2€ de RevPAR, o mesmo valor que em igual mês do ano anterior.

Em termos do acumulado dos primeiros três meses do ano, registou-se igualmente uma desaceleração nos proveitos totais que registaram uma subida homóloga de 13,5% para 448,9 milhões de euros, enquanto os proveitos de aposento aumentaram 13,2% para 309,3 milhões. Por sua vez, o RevPAR subiu 12,3% para 27,2 euros.