INE: Proveitos e RevPar continuam a aumentar a maior ritmo que dormidas

Apesar de o índice de crescimento ter desacelerado em Julho (+13,1% face aos +17,2% do mês anterior), os proveitos totais, tal como os de aposento e o RevPar, continuaram a crescer a dois dígitos, apresentando um índice de subida bastante acima do que se verifica no número de hóspedes e dormidas.

Em Julho, os proveitos totais no alojamento turístico aumentaram 13,1% em termos homólogos, para 428,7 milhões de euros, enquanto os proveitos de aposento atingiram os 327,3 milhões, num aumento homólogo de 15,2%, apesar de também neste indicador o índice de crescimento ter desacelerado face a Junho, quando o aumento tinha sido de 19,2%.

De acordo com os dados do INE publicados esta quinta-feira, todas as regiões apresentaram aumentos nos proveitos, com maior evidência nos Açores (+27,4% nos proveitos totais e +25,3% nos de aposento) e no Alentejo (+21,5% e +22,1%, respectivamente).

O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) atingiu os 73,7 euros, que se traduziu num aumento de 13,3% em Julho (+16,8% em junho). De acordo com o INE, no Algarve na região de Lisboa o RevPAR ascendeu a 101,8€ e 85,7€, respectivamente, tendo sido os mais elevados. No que toca a crescimentos homólogos, o destaque vai para o Alentejo, com +21,0% os Açores, com +18,8% e a região Centro, com +17,9%.

As diversas tipologias de alojamento hoteleiro registaram boa performance ao nível do RevPar, com o INE a destacar os hotéis-apartamentos (+15,5%) e os aldeamentos turísticos (+16,2%).