INE: proveitos sobem em Março mas abaixo das dormidas

As receitas globais da hotelaria conheceram em Março um aumento homólogo de 9,5%, mesmo assim abaixo do crescimento das dormidas (14%). Proveitos de aposento e RevPar também ficaram acima dos registados no mesmo mês do ano passado. Segundo as estatísticas ontem publicadas pelo INE, os proveitos totais atingiram os 121,2 milhões de euros, +9,5% que em igual mês de 2012, enquanto os proveitos de aposento atingiram os 81,1 milhões de euros, valor que corresponde a um acréscimo de 11,8%. Tendo em conta que o aumento das dormidas rondou os 14%, o INE sublinha ter havido ? uma redução dos preços praticados?. Entre as regiões onde as receitas registaram incrementos acima dos verificados ao nível das dormidas, salienta-se o Algarve (+16,9% para os proveitos totais e +23,3% para os de aposento) e a Madeira (+11,5% para os proveitos totais e +16,7% para os de aposento). Os Açores deu-se um ligeiro acréscimo nos proveitos totais (+2,3%) e uma diminuição de 0,9% para os de aposento, ainda que as dormidas tenham verificado um incremento homólogo de 6,3%. Já o RevPar registou uma subida de 9,2% para 21,4 euros que abrangeu praticamente todos as regiões do país. Os Açores, com -2,5% foram a excepção, com a Madeira a situar-se no pólo oposto, apresentando a maior subida (+18,3%). Também a rentabilidade média por quarto disponível sofreu uma variação positiva no primeiro trimestre deste ano. A excepção foram os hotéis apartamentos de duas e três estrelas (-7,8%) e os hotéis de uma e duas estrelas (-1,4%). O maior aumento de rentabilidade verificou-se nos hotéis apartamentos de 5 estrelas, com +35%, apesar de o maior valor de RevPar ter sido atingido pelos hotéis de 5 estrelas (46,8 euros). No que se refere ao primeiro trimestre do ano, os proveitos totais fixaram-se em 275,9 milhões de euros e os de aposento em 183,2 milhões, valores que representam acréscimos homólogos de 3,6% e 4,8%, respectivamente. Já o RevPar foi de 17,2 euros, reflectindo um aumento homólogo de 4,1%. M.F.