INE: Receitas e RevPar continuram em quebra no mês de Janeiro

Pese embora o acréscimo no número de dormidas, as receitas e o RevPar da hotelaria portuguesa continuaram, no primeiro mês do ano, a apresentar resultados negativos. Segundo o INE, os proveitos totais atingiram em Janeiro os 73,1 milhões de euros, número que reflectiu uma quebra homóloga de 1,7%, com o INE a evidenciar que “esta redução nos proveitos totais em Janeiro de 2013 sucede a reduções homólogas ao longo de quase todos os meses de 2012 (com excepção de Julho e Novembro, com ligeiras recuperações)”. Já os proveitos de aposento mantiveram uma certa estabilidade, fixando-se em 48,6 milhões de euros, -0,2% que no primeiro mês do ano passado. Por regiões, a Madeira registou os maiores acréscimos homólogos, com +12,3% nos proveitos totais e +14,2% nos de aposento. Seguiu-se o Algarve com aumentos de 3,0% e 11,4%, respectivamente, face a Janeiro de 2012. Nas restantes regiões os proveitos evoluíram negativamente, nomeadamente no Alentejo e em Lisboa. O RevPar foi de 13,6 euros, -2,2% que em Janeiro do ano passado. Também aqui foi a Madeira a apresentar os valores mais elevados, 22,9 euros, numa evolução homóloga positiva de 18,7%. Seguiu-se Lisboa, com um RevPar de 21,6 euros, variação homóloga de 10,4% Nas restantes regiões reduziu-se o RevPAR, com a excepção do Algarve, onde cresceu 7,5% . Por categoria de estabelecimentos, o maior RevPAR registou-se nos hotéis de 5 e 4 estrelas (29,7 € e 15,4 €, respectivamente), como sucede desde Setembro de 2012. Mesmo assim, nos hotéis o RevPar apresentou resultados negativos, com -4,8% em termos homólogos, o que, de acordo com o INE “derivou dos resultados negativos de todas as categorias, excepto as de 3 estrelas, que cresceram ligeiramente (+0,9%)”. M.F.