INE: Semestre positivo para a hotelaria portuguesa

De acordo com os dados divulgados esta semana pelo INE, a globalidade do alojamento turístico está a ter um ano positivo. No primeiro semestre o número de hóspedes e dormidas suplantou os registados no mesmo período do ano passado, o mesmo acontecendo com as receitas e o RevPar. Tal como aconteceu em Junho, os resultados do primeiro semestre mostram um aumento de 3,5% no total de hóspedes que demandou a hotelaria portuguesa para 6.408,3 mil, entre estrangeiros e nacionais, os quais foram responsáveis por um total de 17.694,4 mil dormidas, ou seja, +5,4% que no primeiro semestre do ano passado, com os estrangeiros a contribuírem com +8,6% que no período homologo, totalizando mais de 12,7 milhões de dormidas. Em Junho, os resultados foram mais expressivos, com o número total de hóspedes a aumentar 7,9% para 1.498 mil que geraram mais de 4,4 milhões de dormidas numa subida homóloga de 8,6%. Neste caso, a contribuição foi tanto dos estrangeiros (+10,1% para ultrapassar os 3,1 milhões de dormidas) como do mercado interno que cresceu 5,3%. O aumento das dormidas reflectiu-se praticamente em todas as tipologias de alojamento, seja no semestre, em que se destacaram os apartamentos e os aldeamentos turísticos, com subidas homólogas de 12,6 e 12,3%, respectivamente, como em Junho. Neste caso, o destaque é para as pousadas (+17,1%) e para os hotéis (+10,4%), estes com a contribuição de todas as categorias, especialmente as de cinco estrelas (+22,5%). Os hotéis-apartamentos de cinco estrelas foram a única categoria a registar uma redução (-3,3%). Quanto às receitas, no primeiro semestre os proveitos totais aumentaram 4,9% (para 803,8 milhões de euros) e os de aposento 6,9% (para 548,6 milhões de euros) – subidas menos acentuadas que no mês de Junho, em que se atingiram resultados positivos de +10,7 (para 207,2 milhões de euros) e + 12,2% (para 144,6 milhões de euros) respectivamente. O RevPar foi de 24,6 euros no semestre, reflectindo um aumento homólogo de 6,0%, enquanto em Junho se situou nos 36,7 euros (+11,2% que no mesmo mês do ano passado). Relativamente a Junho os destaques vão para Lisboa (+18,3%), Madeira (+11,8%) e Norte (+10,4%). No Alentejo registou-se um decréscimo ligeiro no RevPar (-1,3%). M.F.