INE: Só 6,6% do total das deslocações dos residentes passou pelas agências de viagens

O recurso a agências de viagens (em 6,6% das viagens) foi menor (-0,4 p.p.), com utilização em 3,5% das viagens domésticas (-0,3 p.p.) e 36,5% das destinadas ao estrangeiro (-1,4 p.p.), indicam dados do INE divulgados esta segunda-feira, referentes à procura turística dos residentes no terceiro trimestre de 2016.

No período em análise, a reserva antecipada de serviços ocorreu em 32,9% das viagens turísticas realizadas pelos residentes, -2,2 p.p. face a igual trimestre do ano anterior. Diz o INE que esta perda de expressão resultou das deslocações domésticas (-2,5 p.p.), já que no caso dos destinos no estrangeiro houve um acréscimo de 2,6 p.p. na proporção de viagens com reserva antecipada de serviços (87,9% do total).

Na organização das viagens, a internet foi utilizada em 16,6% dos casos (tal como no 3º trimestre de 2015), tendo sido especialmente importante nas deslocações para o exterior onde foi utilizada em cerca de metade das mesmas (49,9%, +6,9 p.p.).

O automóvel foi utilizado em 85,4% (6,5 milhões) das deslocações no período em análise, incrementando em 1 p.p. o seu peso no total. Do total de viagens, 8,1% decorreram com recurso a avião (+0,2 p.p.), enquanto outros modos de transporte (ferroviário, fluvial, entre outros) perderam expressão.