Iniciativa da APAVT deu ?imagem diferente? dos Açores

Um dos objectivos da acção de promoção realizada nos Açores pela APAVT, durante o fim-de-semana, passou por dar uma imagem diferente da região, disse ao Turisver.com o presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira. No passado fim-de-semana, a APAVT levou às ilhas Terceira e Pico, um grupo de cerca de três dezenas de associado, empresários de agências de viagens e representantes da comunicação social, num evento que tinha como atractivo a subida ao ponto mais alto de Portugal. Com um programa que passou muito por dar a conhecer o património cultural e natural das duas ilhas açorianas, e que incluía o ?desafio? de subir ao ponto mais alto de Portugal, a APAVT tentou cumprir vários objectivos. Por um lado, ?transmitir uma imagem de renovação e de modernidade? da própria APAVT e, a partir daí, transmitir também a ideia de que ?os nossos agentes estão em constante evolução? e aptos a trabalhar novos produtos e a trabalhar produtos já existentes de uma forma nova. Por outro lado, e já sob o ponto de vista dos Açores pretendeu-se chamar a atenção para um factor de atracção absolutamente fundamental que são as suas condições naturais insuperáveis, a sua capacidade de fornecer este tipo de experiências?. Mas o objectivo de subir ? talvez seja mais apropriado dizer ?escalar? – o Pico, o ponto mais alto de Portugal, constituía um desafio que Pedro Costa Ferreira relacionou com o tema do próximo Congresso da APAVT: ?Novos Rumos, Outra Atitude?. Para o responsável, num momento como o presente, torna-se fundamental ter uma atitude diferente que permita superar os desafios que estão a ser colocados ?e a subida ao Pico tem a ver com isso: superação?, disse. Com a atenção focada agora no Congresso da APAVT que terá lugar em Dezembro em Angra do Heroísmo, Pedro Costa Ferreira avançou que a Associação pretende que esse evento se torne uma ?mega-operação? que ?faça retornar aos Açores os agentes portugueses e aqueles que vendem as diferentes ofertas turísticas?. M.F.