Iniciativa da Vila Galé e da ERT: De Lisboa à Figueirinha no “Comboio Gastronómico e Cultural do Alentejo”

O Grupo Vila Galé e a Entidade Regional de Turismo do Alentejo juntaram-se para uma iniciativa inédita e exclusiva: uma viagem de comboio temática, dedicada à cultura e gastronomia alentejanas. A viagem, que reuniu mais de uma centena de convidados, começou na Gare do Oriente, em Lisboa, e terminou no apeadeiro da Figueirinha, na herdade em que se integra o Vila Galé Clube de Campo.

  

Foi uma viagem de cerca de quatro horas a bordo de um comboio especial onde os convidados puderam contactar de perto com a cultura alentejana. Um comboio onde, durante toda a viagem, a mais típica gastronomia alentejana foi rainha e os vinhos e os cantares alentejanos que animaram os convidados, foram reis. A bordo não faltaram sequer bordadeiras de Arraiolos a mostrarem, ao vivo, a sua arte.

No comboio que saiu da Gare do Oriente, no Parque das Nações, em Lisboa, seguiram o  presidente do Conselho de Administração do Grupo Vila Galé, Jorge Rebelo de Almeida,  o presidente da Turismo do Alentejo, António Ceia da Silva, o presidente da Câmara de Beja, Paulo Arsénio, o administrador da Vila Galé Gonçalo Rebelo de Almeida, vários quadros do grupo hoteleiro e cerca de uma centena de convidados, nomeadamente agentes de viagens e jornalistas.

Da Lisboa oriental, o comboio atravessou a Ponte 25 e Abril e rumou a Sul, a velocidade lenta, sucedendo-se estações e apeadeiros até chegar a terras do Baixo Alentejo, com duas paragens, uma delas um pouco mais demorada, em Cuba. Entrou depois em Beja, rumou a Santa Vitória, aldeia vizinha do Vila Galé Clube de Campo e a que os vinhos ali produzidos pelo grupo hoteleiro foram buscar o nome, até à estação final, Figueirinha.

  

No passado sábado, 28 de Outubro, os convidados da Vila Galé fizeram um percurso que na realidade não existe, já que estas últimas estações, que integraram a linha férrea que ligava Beja ao Algarve, estão desactivadas. Foi também para chamar a atenção para este facto que a Vila Galé e o Turismo do Alentejo se aliaram nesta iniciativa, pretendendo chamar a atenção para a necessidade de não se desinvestir nos caminhos-de-ferro pois tal significa desinvestimento no interior, como diria Jorge Rebelo de Almeida, presidente do grupo hoteleiro.

O programa da iniciativa incluiu ainda um jantar, sábado, no Pavilhão Santo Isidro do Vila Galé Clube de Campo, com actuação de Cuca Roseta, uma missa, domingo, na renovada capela da herdade da Figueirinha, visita à herdade e adega Santa Vitória e várias actividades.

*A Turisver viajou a convite do Grupo Vila Galé