Insolvência do operador alemão JT Touristik não afecta clientes

O operador turístico alemão JT Touristik, que iniciou o processo de insolvência, assegura que não existe nenhum problema com os seus clientes que estão a desfrutar das suas férias, uma vez que manterá a sua actividade em auto-gestão e sob a supervisão de um perito durante o processo de recuperação.

Baseado em Berlim, e com uma vasta programação para Portugal, o operador lançou já um procedimento especial para prolongar o seu negócio. Deste modo, contará com uma margem necessária para prolongar as negociações que tem em marcha com grandes investidores estrangeiros, e preparar o seu processo de normalização.

Os turistas que já reservaram através da JT Touristik Reisen até 21 de Outubro deste ano e que estão actualmente a viajar com os pacotes turísticos do operador, não serão afectados, uma vez que todas as viagens estão cobertas a 100% com um seguro da Generali Versicherung AG.

Segundo estimativas do grupo, as viagens poderão ser retomadas a 1 de Novembro, e será a seguradora a resolver os casos partivculares com os clientes.

Fontes da empresa, citadas por vários jornais europeus, garantem que esperam completar o processo de reestruturação nos próximos três meses e voltar a operar com normalidade.

Entretanto, embora a empresa alegue que não há nenhum problema com os clientes que actualmente estão em férias, de acordo com alguma imprensa, muitos deram a conhecer que lhes está a ser pedido o pagamento dos transportes e dos hotéis, pese embora já terem pago esses serviços antecipadamente.

Os mais afetados são os clientes que optaram por pacotes dinâmicos, que não têm escolha senão pagar uma segunda vez para perderem a suas férias. Posteriormente, poderão apresentar as suas reclamações junto das respectivas reguradoras, mas só serão reembolsados a partir do início de 2018.