IVA a 23% vai encerrar 55,9% da restauração em 2014

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) alerta para a possibilidade de 55,9% dos estabelecimentos de alimentação e bebidas poderem vir a encerrar em 2014 caso a taxa de IVA se mantenha nos 23%, segundo as conclusões apuradas por um inquérito que a associação realizou recentemente junto dos seus associados. De acordo com os resultados do inquérito da AHRESP, além dos 55,9% de empresas que poderão encerrar no próximo ano, ?das restantes 44,1% de empresas que ponderam manter a sua actividade, 35,8% admitem reduzir os postos de trabalho?, o que leva a AHRESP a considerar que se tratam de ?conclusões alarmantes?. A associação diz ainda que, segundo a mesma pesquisa, caso o IVA seja reposto na taxa intermédia de 13%, ?metade das empresas admite aumentar os seus níveis de emprego em 2014, à semelhança da Irlanda que, após ter diminuído o IVA para a taxa reduzida, criou 9.000 postos de trabalho?. A AHRESP pretende que a redução do IVA para a taxa intermédia seja inscrita já no próximo Orçamento do Estado e lembra que também o Grupo de Trabalho Interministerial, que analisou os efeitos do IVA no sector, reconheceu ?que o imposto deveria ser reposto na taxa de 13%, fomentando desta forma a criação de emprego, como preconiza a directiva comunitária 47/2009?. ?A decisão está nas mãos do Primeiro-ministro, que com certeza saberá ponderar, e decidir a favor da competitividade e sustentabilidade da nossa oferta turística, bem como da recuperação das nossas empresas e dos seus postos de trabalho, ou seja da retoma do crescimento da nossa economia?, conclui a AHRESP. I.M.