Leilão da Herdade da Palheta não atingiu base de licitação

A base de licitação no leilão da Herdade da Palheta, empreendimento turístico localizado no concelho de Redondo (Alentejo), era de 4 milhões de euros mas a melhor proposta ficou-se pelos 3,4 milhões e foi apresentada por um dos principais credores, a construtora San José.

Ainda inacabado, o complexo turístico Herdade da Palheta que inclui um hotel em fase de construção implantado numa área total de 300 hectares, foi a leilão na passada sexta-feira. Na base esteve a insolvência, em 2012, do promotor do empreendimento, a Euro-Atlântica III, Empreendimentos Urbanísticos.

Classificado como PIN – Projecto de Potencial Interesse Nacional, estava prevista para o complexo da Herdade da Palheta, a construção de uma unidade hoteleira que não chegou a ser concluída e que tinha por base a casa senhorial existente na herdade, onde existem 26 hectares de vinha já plantada que deveriam ser também englobadas no empreendimento. O projecto englobava ainda um aldeamento turístico com casas de campo, uma barragem e um campo de golfe de 18 buracos.

No leilão de sexta-feira última, a base de licitação era de 4 milhões de euros, mas a melhor proposta apresentada, a da construtora San José que é também um dos principais credores, não ultrapassou os 3,4 milhões de euros.

Por ter ficado aquém da licitação que era proposta, não é ainda líquido que seja a construtora a ficar com a Herdade da Palheta. O processo está a seguir os trâmites legais com a auscultação dos principais interessados, cabendo a última palavra à comissão de credores.

Caso a proposta da construtora San José venha a ser a escolhida coloca-se a hipótese de o projecto poder vir a ser concluído, o que iria ao encontro dos desejos já tornados públicos pela autarquia de Redondo.