Les Roches e OMT debatem os desafios da educação e do turismo

Mais de 200 delegados e cerca de 40 profissionais originários de Portugal, Espanha, Sérvia, Japão, Guiné Equatorial, Bélgica, Grécia, Perú, Suiça, México, Estados Unidos e Emirados Árabes debateram, durante três dias, sobre a necessidade de impulsar o talento para reforçar o papel do turismo na economia mundial, naquela que foi a 2ª Conferência Mundial da OMT sobre “Desenvolvimento de Talento: Estratégias para Destinos Competitivos”.

Diferentes especialistas de organismos públicos de turismo, entidades privadas e académicos reconhecidos a nível mundial analisaram o poder impulsionador da formação e do talento na criação de um turismo sustentável, ético e comprometido com as comunidades.

Les Roches, a segunda melhor escola de formação hoteleira do mundo segundo o grau de empregabilidade dos seus alunos, irá compilar num documento as conclusões finais das jornadas com o objectivo de produzir um manual para as futuras gerações.

Carlos Vogeler, director executivo da relação com os membros da Organização Mundial de Turismo afirmou que as novas gerações de profissionais devem trabalham em coordenação com os actuais representantes do turismo para garantir equilíbrio e competitividade dos destinos. “Respeito, ética e paixão são as palavras chaves para entender o trabalho que se desenvolve à frente de um sector tão complexo como este, que é actualmente um dos mais produtivos do mundo”.

Segundo Vogeler “o turismo é uma ferramenta para lutar contra a pobreza, mas é vital que as populações locais sintam e percebam que o desenvolvimento os ajuda a gerar riqueza e a crescer como sociedade.

Carlos Diez de la Lastra, CEO da Les Roches Marbella, referiu que, tendo em conta que esta indústria “é a segunda maior em termos de empregabilidade e continua a crescer a um ritmo de 3% ao ano, não há nenhum país em posição de criar talento suficiente para os próximos anos”.

Neste sentido, de acordo com o gestor, a aposta passa pela “necessidade de formação dos futuros líderes da indústria, nos valores de um turismo sustentável, capaz de converter-se numa ferramenta de apoio e riqueza em todas as comunidades”.