Lisboa: Hotelaria da cidade e região tem Outubro positivo

O Observatório do Turismo de Lisboa indica que em Outubro, as unidades de cinco estrelas da cidade foram as que registaram a taxa de variação positiva mais elevada (4,9%), quando comparando com o período homólogo e com todos os indicadores a registarem valores positivos e de crescimento.

O mesmo aconteceu com as unidades hoteleiras da região de Lisboa. Em Outubro, a Região de Lisboa registou valores positivos em todas as unida­des hoteleiras, com as de cinco estrelas a deterem o valor de taxa de variação positiva mais elevado, com 5,5% na ocupação média por quarto e uma média de 86,18%, o que reflecte uma variação de 3,7% face a 2015.

No acumulado de Janeiro a Outubro, as unidades de três estre­las da cidade registaram a maior variação positiva de 0,5%, com um valor médio de 81,70%, face aos 81,30% alcançados em 2015, enquanto na região, o valor médio alcançado é de 76,24%, o que se traduz numa variação positiva de 1,1% face a 2015.

Na cidade de Lisboa, o Average atingiu os 101,25 euros, com as unidades de três estrelas a registarem a maior taxa de crescimento (12,9% cento para 70,50 euros), e o RevPar subiu em todas as categorias, mas com as unidades de 5 estrelas a destacarem-se pelo valor de taxa de variação mais elevado, com 16,2% seguidas de perto pelas unidades de 3 estrelas com 16,0%. No acumulado até Outubro conheceram-se igualmente subidas em todas as unidades, alcançando um valor total médio de 71,95 euros face aos 67,18 euros registados em 2015, o que se traduz numa variação positiva de 7,1%.

Em relação à região de Lisboa, de acordo com o Observatório o Average também cresceu em todas as categorias das unida­des hoteleiras, em Outubro, tendo alcançado os 96,64 euros e uma variação positiva de 12,4%. Neste indicador, as unidades de três estrelas foram as que mais se destacaram com uma variação de 12,1%, que se traduz em 67,56 euros.

No RevPar todas as unidades hoteleiras registaram valores positivos, com as unidades de cinco estrelas a alcançarem o valor mais elevado 16,9%, seguidas pelas unidades de três estrelas com 16,6% de taxa de variação. O preço médio por quarto disponível fixou-se em 83,28 euros, mais 16,5% face ao período homólogo do ano anterior. No acumulado, mais uma vez foram as unidades de três estrelas a liderar a subida.