Lisboa: Indicadores hoteleiros de Julho confirmam tendência ascendente

Em Julho, os resultados da hotelaria da cidade de Lisboa vieram, uma vez mais, confirmar a tendência de crescimento do sector. Ocupação, preço médio por quarto vendido e por quarto disponível, reflectiram aumentos face ao mesmo mês do ano passado, de acordo com os dados difundidos esta terça-feira pelo Observatório Turismo de Lisboa.  

Na comparação com o período homólogo de 2016, a Ocupação Média por Quarto na hotelaria da capital subiu de 85,04% para 86,31% (aumento percentual de 1,5%). O crescimento ficou a dever-se às unidades de 3 e 4 estrelas, que registaram uma subida homóloga de 1,9% e 2,4%, respectivamente, para ocupações de 90,29% e 89,84%. O único sinal negativo foi dado pelos hotéis de 5 estrelas que viram a ocupação descer 1,4% para 76,23%.

No acumulado dos primeiros sete meses do ano, os dados são todos positivos. A ocupação hoteleira média da cidade situou-se nos 79,17%, numa subida homóloga de 6,9%, a mesma que registaram os hotéis de 5 estrelas, onde a ocupação média de Janeiro a Julho se situou nos 71,02%. Nos hotéis de 3 e 4 estrelas, a ocupação registou aumentos de 6,7% e 6,8%, respectivamente, para 81,81% nos 3 estrelas e 82,17% nos 4 estrelas, que alcançaram a ocupação média mais elevada no período.

Também no Preço Médio por Quarto Vendido (Average) houve tendência ascendente, com uma subida percentual de 13,8% em relação ao mês homólogo de 2016, para 101,46€. A maior subida foi registada nos hotéis de 5 estrelas: +16,3% para 163,68€. Seguiram-se os 4 estrelas com um aumento de 15,4% para 85,73€ e os 3 estrelas com +12,3% para 72,59€.

No acumulado de Janeiro a Julho, o Preço Médio por Quarto Vendido na cidade ascendeu a 97,14€, num aumento homólogo de 11,1%. Acima da média ficaram os hotéis de 4 e 5 estrelas, com crescimentos de 12,9% (para 82,30€) e de 12,6% (para 157,88€), respectivamente. Já nos hotéis de 3 estrelas a evolução foi positiva em 8,7%, para 66,89€.

No Preço Médio por Quarto Disponível (RevPAR), a variação foi ainda mais favorável para as unidades hoteleiras, com uma progressão de 15,5% no período em análise, chegando aos 87,57€. A subida mais relevante verificou-se ao nível dos estabelecimentos de 4 estrelas, com 18,1% de aumento médio para um RevPar de 77,02€. Seguiram-se os 5 estrelas com uma subida de 14,7% para 124,78€ e os 3 estrelas com +14,4% para 65,54€.

No acumulado de Janeiro a Julho, o RevPar registou uma subida homóloga de 18,8% para 76,90€. Em matéria de crescimento neste indicador, as unidades de 4 e 5 estrelas ficaram “empatadas”, tendo registado um aumento de 20,4% para 67,63€ nos 4 estrelas e 112,13€ nos 5 estrelas. Já os 3 estrelas tiveram um RevPar médio de 54,72€ (+16% que nos primeiros sete meses de 2016).