Lisboa já é a 38ª cidade do mundo com melhor qualidade de vida

Lisboa subiu cinco posições no ranking das cidades com melhor qualidade de vida. Segundo o estudo Mercer – Quality of Living 2018, a capital portuguesa figura agora em 38º lugar entre as cidades do mundo, à frente de Paris, Londres, Milão, Madrid ou Nova Iorque, entre outras.

Viena, a capital austríaca lidera o ranking pelo 9º ano consecutivo, seguida por Zurique, Auckland e Munique, ambas em 3º lugar. Vancouver completa o top das cinco melhores cidades, apresentando-se como a cidade norte-americana melhor posicionada. Singapura (25º lugar) e Montevideu (77º lugar) são as cidades com melhor classificação na Ásia e América Latina e Bagdade é a cidade que, em todo o mundo, apresenta a pior classificação.

Neste ranking Lisboa surge em 38.º lugar, subindo cinco lugares relativamente ao ano anterior. Segundo a Mercer, a variação foi motivada pela melhoria na classificação da categoria associada ao crime na cidade. Com esta subida, a capital portuguesa conseguiu ultrapassar cidades como Paris (39º lugar), Londres (41º lugar), Milão (42º lugar) e Barcelona (43º Lugar) e manter-se acima de cidades como Madrid (49º lugar) e Nova Iorque (45º lugar).

De acordo com os resultados do estudo, considerado o mais abrangente, Viena continua a ser a cidade com melhor qualidade de vida, a nível europeu e também mundial “fornecendo a residentes e expatriados um elevado nível de segurança, transportes públicos bem estruturados, bem como uma grande variedade de instalações culturais e de entretenimento”, sublinha a Mercer em nota de imprensa.

Munique, na Alemanha, subiu para a 3ª posição, uma vez que ao longo do tempo a cidade tem realizado um esforço concertado para atrair talento e empresas, investindo continuamente em infra-estruturas de alta tecnologia e promovendo as suas instalações culturais. Como resultado do ataque terrorista em Estocolmo (23º lugar), a cidade caiu três lugares na tabela, enquanto Oslo (25º lugar) e Lisboa (38º lugar) subiram seis e cinco posições, respectivamente. Londres permanece mais abaixo na lista, na 41ª posição (caiu uma posição) devido a questões como o congestionamento de tráfego e a poluição do ar.

Este ano a Mercer disponibiliza ainda um ranking em separado sobre as condições de saneamento das cidades, que analisa as infra-estruturas relacionadas com a remoção de resíduos e esgotos, doenças infecciosas, poluição, fornecimento e qualidade de água. Neste ranking, Lisboa encontra-se em 59º lugar, acima de cidades como Barcelona (61º), Londres (67º) e Roma (77º).

Honolulu lidera o ranking do Saneamento das Cidades, seguida por Helsínquia e Otava, ambas em 2º lugar. Nas piores posições encontram-se Dhaka (230º lugar) e Port-Au-Prince (231º lugar).