Luís Alves de Sousa no 27º Congresso AHP: “Ninguém nos dá lições de concorrência”

No 2º painel do Congresso Nacional de Hotelaria e Turismo, Luís Alves de Sousa, administrador dos Hotéis Heritage, deixou advertências relativamente à economia partilhada e ao alojamento local, e sublinhou a capacidade de inovação que tem marcado a hotelaria portuguesa e a capacidade de os hoteleiros enfrentarem a concorrência, aéreas em que “ninguém nos dá lições”.

No painel “O Turismo no mundo de hoje: O que mudou? Por onde caminhamos? Economia partilhada: Uma moda ou mudança de paradigma?” Luís Alves de Sousa começou por fazer um preâmbulo durante o qual salientou a história de inovação que tem marcado a hotelaria portuguesa, acabando desta forma por dar resposta a recentes acusações feitas por Adolfo Mesquita Nunes ao sector hoteleiro, durante o Salão das Viagens de Negócio.

“A inovação tem estado sempre presente na hotelaria portuguesa, não pode nem deve ser forçada pelo Estado ou pelo governo através de legislação e fomos bom exemplo disso”, afirmou Alves de Sousa, sublinhando ainda que “os hoteleiros estão habituados a trabalhar focados na inovação e na concorrência”.

Já sobre o alojamento local e a economia de partilha, Luís Alves de Sousa advertiu que “a economia de partilha não é aquilo a que temos estado a assistir sobretudo nos últimos tempos” em que “existem grupos organizados que gerem apartamentos turísticos” legalizados como apartamentos de habitação. Situações que, afirma, “levantam problemas de segurança e fiscais”. Problemas de segurança que se prendem, por exemplo, ao não controlo de quem ali se aloja, de quantos se alojam e de que forma, mas também com a não exigência de padrões de segurança nos edifícios.

“Além dos aspectos fiscais devemos focar-nos na segurança”, advertiu, sublinhando que para os hoteleiros “não é um problema de concorrência, porque sempre trabalhámos em concorrência e ninguém nos dá lições disso”.