Maio com mais hóspedes e dormidas na hotelaria: aumento deve-se a estrangeiros

De acordo com os dados ontem publicados pelo INE, a hotelaria voltou a ter resultados positivos em Maio, em número de hóspedes e dormidas. Como tem sido praticamente uma constante ao longo de mais de um ano, para o aumento contribuíram apenas os não residentes. Em Maio, a hotelaria registou um total de 1,4 milhões de hóspedes, +7% que no mesmo mês do ano passado, e cerca de 4 milhões de dormidas, reflectindo neste caso um aumento homólogo de 11,8%. Estes números ficam a dever-se aos mercados externos que geraram mais 15,5% de dormidas que em Maio de 2012 tendo gerado mais de 3 milhões de dormidas (77% do total), dado que em número de dormidas as dos portugueses ficaram praticamente sem alteração face ao período homólogo, aumentando apenas 0,8% para pouco mais de 908 mil. No acumulado dos primeiro cinco meses do abo o balanço nestes indicadores é também positivo, tendo o número de hóspedes aumentado 2,3% e o de dormidas 4,3% Mas é no acumulado que se nota mais o frágil comportamento do mercado interno que, de Janeiro a Maio apresenta uma redução homóloga de 5,0%. Com todos os principais mercados externos a crescerem em dormidas, à excepção de Itália, os que mais contribuíram para os bons resultados de Maio foram o Reino Unido que, representando 25,8% das dormidas de não residente cresceu 22,3% em termos homólogos. A Irlanda, com um aumento homólogo de 40,8% e Espanha, com uma evolução positiva de 11,6% foram outros mercados em destaque no mês de Maio. Apartamentos e aldeamentos turísticos foram os tipos de alojamento que mais viram aumentar o número de dormidas face a Maio do ano passado, concretamente +22% em ambos os casos. Seguiram-se as pousadas, os hotéis e os hotéis-apartamentos, com destaque para os hotéis de 5 estrelas. No entanto, continuam a ser os hotéis a concentrar a grande maioria das dormidas (mais de 2,5 milhões, aumento de 11,8% face a Maio do ano passado) em particular os de 4 estrelas, que geraram mais de 1,2 milhões de dormidas, num aumento homólogo de 8,5%. M.F.