Ministro da Economia quer valorizar património com investimentos hoteleiros

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, lançou esta terça-feira um desafio aos empresários portugueses no sentido de aproveitarem imóveis públicos, muitos deles fechados e ao abandono, para investimento hoteleiro. A lista dos primeiros 30 edifícios será lançada brevemente.

Caldeira Cabral, que falava no habitual almoço mensal promovido pela Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) referiu que o objectivo é “valorizar algumas peças de património nacional que estão ao abandono, que possam ser abertos e ser usufruídos por turistas que nos visitam”, acrescentando que são “espaços de todos nós, mas que se encontram ao abandono e a deteriorar-se”.

Numa primeira fase esta iniciativa visa os investidores portugueses, mas o ministro da Economia avançou que depois vão ser convidados grupos estrangeiros.”Não vão ser projectos de grande capacidade”, mas projectos “que nos diferenciam e podem trazer mais-valia para a economia”.

O projecto “será feito por concessão, com todo o cuidado e está a ser articulado com o Ministério da Cultura para que se valorize e se melhore a conservação do património ao mesmo tempo que se abre esse património não só aos turistas mas também aos portugueses para que possam visitar e desfrutar dele”.

No entanto, indicou que “queremos que estes espaços únicos que vamos apresentar recebam investimento de qualidade com regras para que não fique tudo preso em processos de licenciamento muito longos”.

Segundo o ministro, não se trata de construir muito mais hotéis, mas sim de valorizar possibilidades de hotelaria ou de outras utilizações turísticas em espaços históricos, já que considera a valorização do património “um dos eixos muito importantes de apoio à actividade turística”.