MSC Meraviglia vai ser bom para o mercado português pelos destinos onde se vai posicionar

O director-geral da MSC Cruzeiros em Portugal, Eduardo Cabrita, afirmou ao turisver.com que o MSC Meraviglia vai ser bom para o mercado português pelos destinos onde se vai posicionar esta temporada – Mediterrâneo Ocidental, com partidas de Barcelona, Marselha e Génova, mas também pelos itinerários que vai fazer no Verão de 2018 – Norte da Europa, Fiordes, Báltico e Atlântico Norte, bem como no Inverno de 2019/20 pelas Caraíbas, com partidas de Miami.

O navio da MSC Cruzeiros que escalou o porto de Lisboa esta quarta-feira na sua viagem inaugural, acolheu a bordo cerca de 170 convidados, autoridades e agentes de viagens, que constituem 100% do canal de distribuição da companhia. Na cerimónia de boas vindas o comandante do navio e as várias entidades ligadas à operação de cruzeiros no porto de Lisboa, trocaram placas e presentes.

Como é sabido, os cruzeiros que os portugueses mais procuram são os do Mediterrâneo, mas Eduardo Cabrita frisou que “temos cada vez mais clientes de Portugal a optar pelos Norte da Europa e, com esta categoria de navio, com todo o entretenimento e gastronomia de alto nível, vai ser uma esmeralda, não só no Mediterrâneo, como no Norte da Europa”.

Outra grande vantagem, segundo o director-geral da MSC “é que temos cada vez mais portugueses a fazer cruzeiros nas Caraíbas, portanto, quando o MSC Meraviglia se posicionar em Miami, para nós vai ser óptimo porque será uma pedra preciosa no continente americano e podemos tentar quebrar um pouco a hegemonia que existente nessa zona do mundo com as outras marcas”.

Para os embarques e desembarques em Barcelona, a MSC Cruzeiros não coloca pacote com avião porque “existem muitas companhias aéreas a preços muito competitivos a saída de Lisboa. No entanto, estamos a pensar até que ponto a locação de camarotes em Barcelona será suficiente para todos os mercados da Europa, por isso pretendemos criar um num programa desenhado para as partidas de Marselha.

A realização do ship visit ao Meraviglia a Lisboa e a próxima com o Seaside no Funchal tem a ver com o carinho como a companhia trata o mercado português, indicou Eduardo Cabrita para realçar que acredita que tal como “o MSC Preziosa vai fazer Lisboa-Lisboa, um destes novos navios possam fazer também saídas e chegadas à capital portuguesa.

Nos próximos 10 anos esta companhia de cruzeiros vai ter mais 11 navios a juntar aos 12 já existentes. A MSC prevê, assim, triplicar o número de hóspedes e, consequentemente, o número de vendas, e “esperamos que também seja por países”, para acrescentar que em Portugal “estamos a crescer a dois dígitos, mais do que a média de crescimento do mercado de cruzeiros que se situa entre os 6% e os 8%”.

O optimismo é reinante na MSC Cruzeiros Portugal: “Quanto mais navios existirem, mais itinerários existem e mais possibilidades os portugueses têm de escolher novas rotas, como aconteceu agora com Cuba e vai acontecer daqui a sensivelmente oito meses para a China, uma vez que vamos posicionar um navio para os europeus nessa região do mundo”, concluiu Eduardo Cabrita.