Município de Reguengos de Monsaraz apoia recuperação do património histórico

Juntando o financiamento comunitário ou nacional ao apoio da autarquia as obras poderão não ter custos para os promotores. É este o objectivo da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz que deliberou comparticipar até 15% das obras de reabilitação ou de conservação nos edifícios classificados ou em vias de classificação como de interesse nacional, público ou municipal.

Os edifícios deverão integrar o mapeamento produzido pela Direcção-Geral do Património Cultural de priorização das obras do programa Portugal 2020.

A autarquia considera que estes bens possuem um valor cultural inestimável, estando abrangidos pelas normas de protecção e valorização.

José Calixto, presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, considera que “o interesse cultural destes bens demonstra, separada ou conjuntamente, valores de memória colectiva, antiguidade, autenticidade, originalidade, raridade, singularidade ou exemplaridade”.

As comparticipações financeiras terão de ser requeridas à autarquia e a sua concretização será objecto de um protocolo a celebrar com a entidade requerente.