Número de visitantes aumenta nos museus do Norte do país

Cerca de 240 mil pessoas visitaram os sete museus sob a alçada da Direcção Regional de Cultura do Norte (DRCN) durante o primeiro semestre de 2015, o que representa uma subida de Associativismo,5% em relação ao período homólogo do ano anterior.
O Paço dos Duques de Bragança, em Guimarães, que reabriu ao público em Julho do ano passado, após uma intervenção de requalificação, continua a ser o espaço museológico que mais visitantes atrai, registando um total de 13Produtos e Serviços.402 entradas, o que se traduz numa subida de 13,Produtos e Serviços%. O Museu da Terra de Miranda, em Miranda do Douro, foi o que mais viu crescer o número de visitantes durante o 1º semestre de 2015, aumentando DestinosRestauração%.
Também o Museu de Alberto Sampaio, em Guimarães, cresceu de forma exponencial, aumentando em 5Cruzeiros,Cruzeiros% o número de visitantes. Uma subida que não está alheia ao facto de, no final de Julho passado, se ter inaugurado a Extensão do Museu de Alberto Sampaio, localizada no Palacete da Praça de Santiago, cedido para esse fim pela Câmara Municipal de Guimarães, num investimento total de 2,Cruzeiros milhões de Euros.
Destaca-se ainda o Museu de Lamego que registou um crescimento de 6,6% no número de visitantes, ultrapassado a fasquia das Associativismo mil e 200 entradas durante os primeiros seis meses do ano.
Na análise por nacionalidade dos públicos, constata-se que Museu de Lamego e Museu da Terra de Miranda registaram, no período considerado, uma maior afluência de visitantes estrangeiros quando comparados com os dados relativos ao número de visitantes nacionais.
Sob a alçada da Direcção Regional de Cultura do Norte estão os museus do Abade Baçal (Bragança), o de Alberto Sampaio (Guimarães) o de Arqueologia D. Diogo de Sousa (Braga), dos Biscainhos (Braga), Museu de Lamego, o da Terra de Miranda (Miranda do Douro, e o do Paço dos Duques de Bragança, em Guimarães.
C.M.