Número de turistas portugueses na Tailândia deve crescer 6% este ano

O número de portugueses a visitar a Tailândia este ano deve registar um crescimento de 6% face a 2016 quando o destino acolheu 45 mil turistas lusos, estima Rosário Louro, representante da Autoridade de Turismo da Tailândia em Portugal.

Em declarações aos jornalistas, à margem de um workshop sobre o destino, que decorreu no Estádio da Luz, em Lisboa, em parceria com a companhia aérea Emirates, e que se destinou a apresentar a alguns agentes de viagens as potencialidades e os produtos da Tailândia direccionados para o mercado de alto nível e segmento de luxo, Rosário Louro referiu que nos últimos dois anos, o destino do Sudoeste asiático tem sido muito procurado por turistas portugueses, tendo registado aumentos de 20%.

No que se refere a 2017, com uma subida de apenas 20%, a responsável indica que tem a ver com o aumento da concorrência de outros destinos internacionais, nomeadamente as Caraíbas.

Na ocasião, Ana Paula Ferreira, salles Executive da Emirates, deu a conhecer aos agentes de viagens as ofertas da companhia aérea para a Tailândia, em voos à partida de Lisboa, com excelentes tempos de conexões no Dubai, bem como as operações da low cost FlyDubai e o code share com a Bangkok Airways, que permite chegar a vários destinos daquele país.

De acordo com Rosário Louro, “os voos da Emirates foram importantes porque foi a primeira companhia a ter voos directos de Phuket e isso abriu-nos uma porta”. Refira-se que para além de Bangkok, Phuket é um destino muito procurado pelos portugueses em férias naquele país, que vem tornando um destino cada vez mais acessível em termos dos pacotes de viagem.

Na apresentação do destino, a ideia foi, conforme disse a representante da Autoridade de Turismo da Tailândia em Portugal, “mostrar que é um país do detalhe e do pormenor, que transforma as tradições em algo contemporâneo”.

Tendo em conta o interesse em acolher turistas do segmento do luxo, as regiões apresentadas neste workshop foram as mais desconhecidas e menos massificadas, unidades hoteleiras de alto luxo, bem como os melhores restaurantes e locais para compras. Quando aos principais produtos, foram evidenciados os Spas, o turismo verde e os desportos como o golfe (o país oferece 250 campos de golfe), a vela, o mergulho e outros desportos náuticos.