Observação de cetáceos nos Açores cativa cada vez mais turistas

A observação de cetáceos no mar dos Açores continua a ser um produto turístico atraente. Só o ano passado, 24 empresas licenciadas para este fim levaram mais de 84 mil pessoas, o que corresponde a uma subida de 8% face a 2015.

O director regional do Turismo dos Açores, Filipe Macedo, revelou à Lusa que são os turistas nacionais e os alemães que nos últimos anos têm demonstrado “maior apetência pela observação de cetáceos no mar dos Açores, totalizando ambos no conjunto 43%” em 2016. No entanto, o maior crescimento verificado em 2016 ocorreu com turistas provenientes dos Estados Unidos da América (57%) e Itália (42%).

A observação de cetáceos está dividida em três áreas, que englobam as ilhas de São Miguel e Santa Maria, o denominado ‘triângulo’ (Pico, Faial e São Jorge) e as ilhas da Terceira e Graciosa.

“Nas ilhas das Flores e do Corvo neste momento não existem empresas de observação de cetáceos licenciadas, mas poderá surgir em 2017 nas Flores”, disse Filipe Macedo, esclarecendo que “não há limitação para o número de empresas a operar nesta área, porque ainda não houve necessidade de restringir”.