OE 2014: Presidente da CTP considera medidas ?muito duras?

Em declaração escrita à Agência Lusa, o presidente da Confederação do Turismo Português considerou ?muito duras? as medidas de austeridade previstas no Orçamento de Estado para 2014 e defendeu, uma vez mais, que o turismo, pela sua importância económica, merecia medidas de fomento ao crescimento. Para Francisco Calheiros, o Orçamento de Estado para 2014 é, ?de uma forma geral? muito duro, o que levará a que o próximo seja ?um ano muito difícil para os portugueses? e avançou mesmo que “cortes de salários e de pensões só por si, podem resolver questões pontuais de diminuição do défice, mas não são a solução para os problemas estruturais com que nos debatemos”. Sublinhando que o turismo é responsável por 10% do Produto Interno Bruto, 14% das exportações de bens e serviços e 8% do emprego no país, o presidente da CTP mostrou-se preocupado com a manutenção da taxa de IVA sobre a restauração e o golfe, até porque, afirmou no documento, ?o sector do turismo deu, apesar desse fardo, um contributo muito positivo para a nossa balança comercial”. Francisco Calheiros defendeu ainda que o sector merecia um pacote de medidas capazes de fomentar o seu crescimento: “Tivemos um ano muito positivo em termos de actividade turística e pensamos que o sector merecia um conjunto de medidas de fomento ao crescimento, nomeadamente no que respeita à capacidade de consumo do mercado interno”, afirmou. M.F.