OMT: Receitas turísticas subiram em todos os mercados em 2017

Tanto os mercados tradicionais como os emergentes viram as suas receitas turísticas aumentarem em 2017, o que revela que a procura de turismo internacional mantém a sua trajectória ascendente em todas as regiões do mundo, segundo dados divulgados esta quarta-feira pela OMT.

À cabeça desde crescimento estão os Estados Unidos, que aumentaram os seus gastos com viagens ao exterior em 12 mil milhões de dólares, seguindo-se a China com 8 mil milhões de euros, consolidando a sua liderança como o país que mais gasta com turismo internacional. A Federação Russa aumentou os seus gastos em 7.000 milhões e o Brasil em 5.000 milhões de dólares, euros no Brasil, resultados que em ambos os casos representam um aumento exponencial tendo em conta as quebras verificadas em anos anteriores. A força das despesas em turismo reflecte uma maior conectividade, a simplificação do regime de vistos e melhoria da economia global.

Diz a OMT que os 25 mercados emissores mais importantes registaram um gasto maior com o turismo internacional em 2017. A China consolidou s sua liderança como país que mais gastou em viagens ao exterior em 2017.

As outras três economias do grupo BRIC (Brasil, Federação Russa, Índia e China) também aumentaram significativamente os seus gastos em 2017. A Federação Russa (+ 13%) recuperou após vários anos de queda, alcançando 31 mil milhões de dólares, subindo três posições e juntando-se ao grupo dos dez primeiros. O Brasil (+ 20%) também recuperou fortemente e subiu oito posições para alcançar a décima sexta posição, com 19 mil milhões de dólares em gastos. A Índia continuou a sua expansão com um crescimento de 9% nos gastos, chegando a 18 mil milhões, e avançou quatro posições no ranking, alcançando o décimo sétimo lugar.

“As economias emergentes desempenham um papel crucial no desenvolvimento do turismo e estamos muito satisfeitos em ver a recuperação da Federação Russa e do Brasil, bem como o crescimento contínuo da Índia, já que esses mercados emergentes importantes contribuem para o crescimento e diversificação dos mercados em muitos países”, disse o secretário-geral da OMT, Zurab Pololikashvili.

As economias avançadas também tiveram bons resultados em 2017, lideradas pelos Estados Unidos da América (+ 9%), o segundo maior mercado emissor do mundo. Os viajantes americanos gastaram mais 12 mil milhões de dólares em turismo internacional, chegando a 135 mil milhões. As despesas dos alemães (o terceiro maior mercado) e dos britânicos (a quarta) cresceram em ambos os casos 3% e os franceses (em quinto lugar), apenas 1%. Das dez primeiras posições, destaca-se o notável crescimento das despesas na Suécia (+ 14%) e na Espanha (+ 12%).

Estes bons resultados estão, segundo a ONT, em linha com o aumento de 7% das chegadas de turistas internacionais em 2017. A procura das viagens foi especialmente alta na Europa, onde as chegadas subiram 8% o ano passado.