Operadores britânicos prevêem recuperação do Norte de África este ano

Os operadores britânicos Thomas Cook (TC) e TUI Travel prevêem para este ano a recuperação turística de destinos como o Egipto e a Tunísia, no Norte de África, considerando mesmo que estes países devem figurar no Top5 dos destinos preferidos dos britânicos para 2013. De acordo com a Thomas Cook, a procura de férias no Egipto e na Tunísia para este Inverno cresceu 45% e 40% face a igual período do ano passado, respectivamente, o que leva o operador a prever que estes países venham a estar entre os cinco destinos mais populares para 2013, como referia o jornal britânico The Telegraph. Opinião idêntica parece ter a TUI Travel, proprietária dos operadores Thomson e First Choice, que disse já que o Egipto vai ser um dos cinco principais destinos de Verão e para short-breaks no Inverno para os britânicos, uma opinião que é apoiada pelo crescimento das reservas antecipadas para este destino a que a TUI Travel tem assistido, avançava ontem o jornal espanhol Hosteltur. Recorde-se que, antes da Primavera Árabe, o Egipto e a Tunísia eram os principais destinos turísticos no Norte de África, registando um crescimento na procura que, segundo alguns especialistas, poderia mesmo superar a procura pelos principais destinos do Mediterrâneo, nomeadamente Espanha e Grécia. Agora, depois de os problemas resultantes da Primavera Árabe, que levaram a que a procura por estes países caísse cerca de 50%, estarem praticamente resolvidos, o turismo prepara-se para regressar em força ao Norte de África, depois de já no ano passado se ter registado alguma melhoria nos resultados turísticos. E a confiança dos maiores operadores turísticos britânicos é também sublinhada pelo Turismo do Egipto, que recentemente avançou a estimativa de que o número de turistas no país deverá passar este ano de 12 para 15 milhões de turistas, tal como pelo Turismo da Tunísia que previu uma retoma também para este ano. Além dos países do Norte de África, os operadores britânicos estimam também que a procura pelos principais destinos do Mediterrâneo, como Espanha e Grécia, se mantenha em alta entre os britânicos, até porque a libra tem valorizado face ao euro e porque os turistas têm a percepção de que estes países, que atravessam dificuldades económicas, proporcionam uma boa relação qualidade/preço. I.M.