Parcela Já vem facilitar pagamentos de viagens no mercado turístico

Parcela Já é o nome de uma nova empresa apresentada esta quarta-feira por Miguel Quintas e que tem por objectivo facilitar os pagamentos no mercado turístico. A empresa permite às agências de viagens a venda ao consumidor de produtos turísticos de forma parcelada, recebendo o montante num prazo de até 72 horas.

O parcelamento é feito através do cartão de crédito do cliente e o sistema é válido para a venda de produtos de fornecedores devidamente homologados, nomeadamente “James Rawes na parte dos cruzeiros, Consolidador.com na parte da aviação, Solférias, Soltrópico, Joliday, Travelplan e Nortravel”, enumerou Miguel Quintas, managing director da Parcela Já, sublinhando tratar-se de “fornecedores que apenas com uma chamada ou email disseram automaticamente que queriam participar”. Embora com estes fornecedores a Parcela Já consiga “cobrir um espectro muito grande da oferta turística nacional”, a empresa está aberta a que novos fornecedores, nomeadamente “centrais hoteleiras”, possam aderir ao projecto, segundo referiu o responsável, em resposta a uma questão do Turisver.com.

Vendendo produtos destes fornecedores, o agente de viagens pode parcelar o custo ao consumidor em cartão de crédito, o que dará ao consumidor maior disponibilidade para adquirir mais viagens. Já as agências poderão fidelizar os seus clientes, aumentar o seu volume de vendas e criar mecanismos de promoção que lhes permitam reduzir os descontos que actualmente concedem, referiu Miguel Quintas.

Por agora, o Parcela Já permite o pagamento em três prestações, com a abertura do processo a correr por conta do cliente que para isso apenas pagará 5€. O que o Parcela Já também permite é que o cliente usufrua da viagem que comprou antes de finalizado o pagamento, no entanto, o cliente tem que ter disponível no seu cartão de crédito, à hora da compra, o montante que a viagem lhe vai custar. Desta forma, o montante passível de ser utilizado pelo consumidor no Parcela Já depende do plafond associado ao seu cartão de crédito. Mas mesmo com o montante do custo da viagem a ficar bloqueado no cartão de crédito do cliente, uma das grandes vantagens do Parcela Já para o cliente final é que “é mais barato que pedir ao banco” e “muito mais simples” já que, como frisou Miguel Quintas em resposta ao Turisver.com “o cliente sai da agência já com o seu crédito aprovado” bastando ter consigo dois documentos: cartão de cidadão e cartão de crédito.

O cliente paga em parcelas mas o agente de viagens recebe o montante em três dias, ou seja, após o processo aprovado e o pagamento efectuado, a agência recebe “no prazo máximo de 72 horas”, com “o risco de toda a operação a ficar do lado da Parcela Já”.

Esta solução, que passa pela instalação de um terminal próprio, vai ser oferecida pela Parcela Já a todas as agências que vendam mais de 1.000€ por mês através deste sistema, mas mesmo noutros casos, o pagamento nunca irá além dos 10€ mensais por terminal instalado.