Patrões querem?novo rumo? para o país

Reunidas ontem em Lisboa, as Confederações dos Agricultores (CAP), do Comércio e Serviços (CCP), do Turismo (CTP) e a Confederação Empresarial de Portugal (CIP) uniram-se em torno de um ?compromisso para o crescimento económico? e desafiaram o governo a construir ?um novo rumo para Portugal?. Segundo noticia a Agência Lusa, entre as medidas que as quatro Confederações patronais consideram urgentes, está o ?alívio fiscal? que reputam como determinante para a retoma do investimento por parte do tecido empresarial, para a recuperação do emprego e para o aumento do consumo das famílias. Daí que o ?alívio fiscal? requerido abranja o IRC, IRS e o IVA, nomeadamente no que se refere à taxa que impende sobre os serviços de alimentação e bebidas. As confederações patronais querem ainda que o governo reconheça que o rumo seguido até foi errado e que por isso terá agora que ser alterado. ?De uma vez por todas há que ter a coragem de o assumir e a ousadia de não insistir numa receita que não é uma solução para Portugal e cuja continuidade nos pode levar para um caminho sem retorno. É preciso coragem e humildade para reconhecer que precisamos de alterar o rumo? sublinharam em conferência de imprensa Considerando que o Governo está ?a usar mal? uma boa ferramenta que é a Concertação Social, os signatários pretendem ver concretizadas as linhas gerais do “Acordo para o Crescimento, Competitividade e Emprego”, subscrito em Janeiro do ano passado mas exigem ?propostas mais concretas e datadas? porque ?o assim que for possível não é suficiente?. M.F.