Pavilhões do Parque das Caldas da Rainha vão dar lugar a hotel

Um hotel privado a construir até 2020, vai permitir a reabilitação dos Pavilhões do Parque das Caldas da Rainha. O concurso de concessão deverá ser lançado até Março, revelou o presidente da Câmara.

Fernando Tinta Ferreira declarou à Lusa que “vamos abrir o concurso no decorrer deste trimestre, com um prazo de 60 dias para apresentação das propostas, que esperamos receber até Maio ou Junho”.

As normas do concurso de concessão do direito de exploração dos centenários Pavilhões do Parque D. Carlos I e do antigo casino (Céu de Vidro) para a instalação de uma unidade hoteleira foram já aprovadas na Assembleia Municipal.

Os edifícios foram no ano passado integrados numa lista de 30 edifícios públicos degradados que o Governo quer concessionar a privados, no âmbito do programa de valorização do património.

De acordo com a Lusa, o documento ora aprovado estabelece uma concessão por 48 anos, assumindo o investidor a recuperação dos edifícios que se encontram em avançado estado de degradação e o compromisso de submeter, num prazo de um ano após a celebração de contrato, um projecto de reabilitação e instalação de um hotel nos pavilhões, que poderá incluir uma ligação destes ao Céu de Vidro.

Após a aprovação do projecto, o investidor terá um prazo de 180 dias para iniciar a construção do hotel, que terá como prazo limite de abertura ao público o dia 2 de Dezembro de 2020.

O concurso estabelece ainda que, após um prazo de carência de cinco anos, o investidor pagará à autarquia uma renda de, no mínimo, 3.500 euros.