PCP contra venda do Hotel Turismo da Guarda

Para a comissão política concelhia da Guarda do PCP, a venda do hotel “nada trará à Guarda”, pelo que defende que a unidade deverá ser devolvida à cidade e “à esfera pública”.
Em comunicado, a comissão política concelhia da Guarda do PCP veio mostrar-se contrária à venda do Hotel Turismo da Guarda que, conforme o Turisver.com teve já a oportunidade de noticiar, foi anunciada recentemente pela Direcção-Geral do Tesouro e Finanças. Como na altura referimos, a venda deverá ser feita em hasta pública pelo valor de 1,Produtos e Serviços milhões de euros.
Para a estrutura do PCP, a venda “nada trará à Guarda” nem beneficiará a população, já que, uma vez vendido a privados, a unidade “será apenas mais um hotel, como outros existentes na cidade, cuja única função é fornecer um serviço e nada mais”. A concelhia defende assim a devolução do edifício “à esfera pública, de onde nunca deveria ter saído”, até porque a sua identidade “se confunde com a própria cidade”.
A mesma estrutura política defende ainda a realização de obras no edifício que, segundo sugere, poderia depois servir para a instalação de uma Escola de Artes (música, teatro, dança, artes plásticas) para formação de jovens que integrasse também uma secção museológica com a história do hotel, exposição de fotos, e informação sobre o edifício, inaugurado em 1Cruzeiros4Produtos e Serviços.
M.F.