Plataforma de investimento para o turismo debatida em Lisboa

A proposta de criação de uma Plataforma de Investimento para o sector foi a tónica de um debate realizado em Lisboa, numa organização da eurodeputada Cláudia Monteiro de Aguiar e em que participaram diversas associações e entidades do sector.

Na reunião em que participaram o Turismo de Portugal, a CTP, AHP, AHRESP, APHORT, bem como representantes das ERT e ARPT, entre outras entidades, a possibilidade de criação de uma plataforma de investimento para o turismo, esteve em cima da mesa, mas os presentes identificaram a recapitalização das empresas, a maturidade dos empréstimos e os custos de contexto como sendo os principais problemas das empresas do sector.

Numa reunião em que as intervenções estiveram a cargo do Comité das Regiões, Comissão Europeia, Banco Europeu de Investimento e Turismo de Portugal e Deloitte, a Comissão Europeia, apresentou o Guia para o Financiamento do Turismo 2014-2020.

Neste encontro, e referindo-se à plataforma de investimento Cláudia Monteiro de Aguiar sublinha “que sozinhos e de costas voltadas não alcançamos os objectivos pretendidos. As oportunidades de financiamento europeu existem e estão à disposição da economia, temos agora que identificar as necessidades comuns do sector, para alcançar por exemplo o Plano Juncker”.

A eurodeputada sublinhou ainda que Portugal tem de saber encontrar as necessidades comuns ao sector e, em cooperação com outros países e regiões, criar projectos com escala. As associações, as empresas em Portugal se trabalharem em estreita colaboração podem candidatar-se a diversos projectos com financiamento europeu”.

A digitalização, formação nas novas competências, apoio e acesso ao financiamento das PMEs e Startups, os novos modelos da economia colaborativa, as infra-estruturas de transporte para melhorar as ligações, a renovação dos hotéis e melhoria da eficiência energética e uso das renováveis foram alguns dos temas apontados desta proposta de criação da Plataforma de Investimento para o Turismo a iniciativa deve partir do sector em parceria com o Turismo de Portugal.