Ponta Delgada apresenta Plano Estratégico de Desenvolvimento Turístico

O Plano Estratégico de Desenvolvimento Turístico de Ponta Delgada, apresentado esta terça-feira, pretende ser um “elemento de diferenciação” e não de colisão com a orientação regional para o sector, assegurou o presidente da autarquia.

Aos jornalistas, José Manuel Bolieiro referiu que as orientações do plano são “compatíveis com o planeamento regional, estimulando revisões futuras em conformidade com a modernidade”.

Refira-se que o Governo Regional apresentou em 2016 um Plano Estratégico e de Marketing do Turismo dos Açores, do qual emanam quatro eixos estratégicos que assentam na qualificação do destino, sua sustentabilidade, eficácia da promoção e eficiência nas acessibilidades.

José Manuel Bolieiro afirmou que o Plano de Desenvolvimento Turístico de Ponta Delgada, que vai vigorar até 2012, pretende definir “orientações estratégicas que sejam boas para fundamentar decisões” do município, para “potenciar as decisões regionais” e ser uma “boa orientação definidora do investimento privado”.

O responsável gostaria de ver concretizado no âmbito do documento a “valorização do investimento turístico” com preservação da natureza, bem como a “identidade citadina do povo, com o elemento religioso como uma vantagem significativa”, a par da criação de outros eventos-âncora como os já existentes Tremor, Walk&Talk, PDL White Ocean.

O Plano Estratégico de Desenvolvimento Turístico de Ponta Delgada prevê produtos estratégicos como o turismo de natureza, do mar, religioso, cultural e urbano, contemplando projcetos como a requalificação da Praça Gonçalo Velho (onde está o monumento das Portas da Cidade) e a expansão da avenida marginal Infante D. Henrique.

O documento contempla também a requalificação da frente marítima do Pópulo, um museu do mar, o aproveitamento da cultura baleeira do concelho para fins museológicos, a criação de recifes artificiais, a valorização da gruta do Carvão e a criação de um cartaz de eventos.