Porto quer conhecer impacto directo do turismo de negócios

Para conhecer o impacto directo do turismo de negócios na cidade e na região, a Associação Turismo do Porto e Norte (ATP), em parceria com a Câmara Municipal do Porto e agentes locais, e com a colaboração de uma Universidade local, vai passar a disponibilizar dados muito mais aprofundados, num projecto de grande dimensão.

Os impactos indirectos, de acordo com Rui Pedro Gonçalves, director executivo da ATP, vão-se percebendo, uma vez que “todos os centros de congressos e outros equipamentos do género na cidade têm a agenda completamente cheia até ao final do ano, maioritariamente com eventos internacionais”, para acrescentar que “o despertar disso tudo isso tem também a ver com o ranking do ICCA o ano passado que colocou o Porto foi uma das cidades que mais subiu”.

Outro exemplo é o facto de o Porto se ter transformado na “casa” da Mercedes-Benz Vans até Maio, com a marca alemã a ocupar o edifício da Alfândega, um dos principais centros de congressos da cidade, para ali realizar uma mega acção de formação sobre a nova versão de um dos seus modelos, que dura cerca de nove semanas e conta com mais de 6.500 participantes.

Para dar sequência aos resultados que vêm sendo alcançados nos últimos anos, a Associação Turismo do Porto vai continuar focada na captação de eventos e de congressos não só para a cidade e área metropolitana, mas também para toda a região Norte, em cidades que têm vindo a criar condições para esse fim, como é o caso de Braga, e, também, na presença em feiras e workshops dedicados a este segmento, assegurou o seu director executivo, em declarações ao turisver.com.

Por outro lado, tem vindo a apostar na realização de acções junto de mercados definidos como prioritários, que são os EUA, Brasil, Reino Unido, Alemanha, Espanha e França. Nos EUA, a ATP vai fazer um conjunto de parcerias com vista a manter uma presença permanente no território, para além do trabalho que o Turismo de Portugal desenvolve, e nos restantes mercados, num primeiro nível, pretende contar com o auxílio dos delegados do Turismo de Portugal, e no futuro, começar a ter um conjunto de colaboradores para uma maior aproximação junto das organizações.