Portugal deve promover-se como um todo, diz presidente da DRV

Durante um almoço promovido ontem pela APAVT, o presidente da associação alemã de agentes de viagens DRV, Jürgen Büchy, deixou claro que Portugal é um destino turístico “único” e “diversificado”, com muito para oferecer aos turistas. Relativamente ao mercado alemão, o responsável frisou que Portugal deve promover-se como um todo e elevar a percepção da marca. Apesar do aumento do número de turistas alemães para o nosso país desde 2011, o market share de Portugal no mercado alemão é ainda diminuto. A APAVT reconhece isso e pretende contrariar a situação, com o seu presidente, Pedro Costa Ferreira a afirmar mesmo que “temos o dever de trabalhar no sentido de aumentar os fluxos de turistas alemães para Portugal”. Para isso, disse, há que pôr o sector (agentes de viagens, operadores, companhias aéreas, hotéis, regiões, Turismo de Portugal…) a trabalhar em conjunto. Já na opinião do presidente da DRV, Jürgen Büchy, para ganhar quota de mercado na Alemanha, o nosso país tem que aumentar as vantagens competitivas, o que passa, nomeadamente, por “elevar o conhecimento da marca e a visibilidade de Portugal, enfatizando as características únicas do país”, mas também pelo “investimento em marketing” com “campanhas inovadoras e eventos promocionais” direccionados para a captação de novos clientes”. Jürgen Büchy reconhece que “Portugal é um destino turístico diversificado, que convence através de um vasto leque de produtos de alta qualidade”, “um destino único” que “tem todas as pré-condições para criar para si próprio um bom nome no turismo de qualidade”. Em conversa com a imprensa, Jürgen Büchy avançou que o número de turistas alemães em Portugal deverá voltar a crescer este ano. “Estamos optimistas e pensamos que a tendência de crescimento vai continuar em 2014”, especialmente no Algarve, mas também na Madeira e em Lisboa. Quanto às outras regiões assume que “são menos conhecidas na Alemanha” e que “poucos sabem o que têm para oferecer”. Daí a sua recomendação para que Portugal se promova como um todo: “Não faz sentido falar de pequenas regiões, de pequenos produtos. Tem é que se falar da variedade da marca Portugal, dizer às pessoas que venham a Portugal e que depois descubram por si próprias as muitas possibilidades do destino”. M.F.