Portugal atinge mercados que deixam mais valor, diz secretária de Estado do Turismo

A secretária de Estado do Turismo afirmou que os números da actividade turística referentes ao mês de Fevereiro, “demonstram que o trabalho articulado entre todos tem permitido aumentar a atractividade e visibilidade da oferta turística portuguesa ao longo de todo o ano, e não só na tradicional época alta, e tem contribuído para a dinamização do turismo nas várias regiões do país”, ao mesmo tempo que “estamos também a conseguir atingir os mercados que deixam mais valor no território”.

Ana Mendes Godinho comenta assim os resultados da actividade turística do mês de Fevereiro deste ano, revelados esta sexta-feira pelo INE, que indica que estabelecimentos hoteleiros e similares registaram 1,2 milhões de hóspedes e 2,9 milhões de dormidas, correspondendo a variações de +6,5% e +6,2%, respectivamente, quando em Janeiro estes indicadores tenham apresentado uma evolução positiva de +3,7% e 4,9%. Nos dois primeiros meses do ano, os hóspedes aumentaram 5,2% e as dormidas 5,6% face ao período homólogo de 2017.

As dormidas do mercado interno cresceram 7,6% (+5,6% em Janeiro), contribuindo com 892,3 mil dormidas, e as dos mercados externos aumentaram 5,6% (+4,6% em Janeiro), estando na origem de 2,1 milhões de dormidas, enquanto a estada média, no mês em análise reduziu 0,3% passando a ser de 2,56 noites. Esta ligeira redução tem a ver com a descida da estada média de turistas estrangeiros, porque quanto aos nacionais, subiu 2%.

O Alentejo foi a região que mais cresceu, quer em hóspedes, quer em dormidas (+10,6% em ambos os indicadores). Os Açores (+9,9%) e o Norte (+9,7%) também registaram uma evolução significativa nas dormidas no mês de Fevereiro.

O turismo continua a diversificar os seus mercados, tendo-se registado novamente uma subida acentuada das dormidas de cidadãos da Suécia (+30,4%), tal como já tinha ocorrido em Janeiro. EUA (+30,4%) e Brasil (+28,6%) também continuam a crescer de forma assinalável. Do lado inverso, as dormidas de hóspedes dos Países Baixos continuaram em redução (-7%), tendência que se mantém desde Abril de 2017, segundo o INE.

Em Fevereiro, a taxa líquida de ocupação-cama (37,2%) aumentou 1,8 p.p. (+0,9 p.p. em Janeiro). Na Madeira, este indicador subiu para 61,9%, seguida de longe pela região de Lisboa (48,1%) e pelo Norte (34,4%). Mesmo assim, foram estas duas últimas onde se verificaram os maiores aumentos, ou seja +3,0 p.p. e +2,9 p.p., respectivamente.