Portugal foi sétimo mercado emissor para Cabo Verde no 1º trimestre

Em número de hóspedes e dormidas Portugal foi o sétimo mercado para Cabo Verde no primeiro trimestre deste ano, de acordo com os dados publicados pelo INE-CV.

Os turistas portugueses que procuraram as ilhas cabo-verdianas no período em análise, representaram 5,7% do total dos hóspedes e 3,9% das dormidas, com uma estadia média de 4,1 noites.

Os estabelecimentos hoteleiros em Cabo Verde acolheram 215 mil turistas no primeiro trimestre deste ano, um aumento de 10,3% em relação ao mesmo período do ano passado, correspondendo a mais 20.186 turistas do que em igual período do ano passado.

As dormidas também aumentaram nos primeiros três meses do ano, em 10,6%, correspondendo a 1.342.553, e que em termos absolutos representa mais 129.208 dormidas.

Durante o primeiro trimestre de 2018, o INE apurou que a taxa média de ocupação-cama em Cabo Verde foi de 62%, com a ilha da Boavista a estar mais ocupada (81%), seguida do Sal (73%) Santo Antão (31%) e São Vicente com uma taxa de 30%.

Neste trimestre, o Reino Unido foi o principal país de proveniência de turistas com 20% do total das entradas, que também foram os que permaneceram mais tempo em Cabo Verde, com uma estadia média de 7,6 noites. A seguir vêm, Alemanha, França e Países Baixo, responsáveis por, respectivamente, 12,4%, 12,2% e 11,2% do total das entradas. Relativamente às dormidas, o Reino Unido continua em primeiro lugar com 26,9% do total, seguido de, Países Baixos, Alemanha e França, com, 12,3%, 11,6% e 9,8%, respectivamente.

A ilha do Sal foi a ilha mais procurada, representando cerca de 51,8% das entradas nos estabelecimentos hoteleiros, seguida da ilha da Boa Vista, com 23,9% e Santiago com 11,0% das entradas.